Vice Presidente da ASSTBM, Olivo Moura fala da proposta do Governo do Estado

36

Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes manifestou descontentamento com o abono

O governo do Estado apresentou ontem uma proposta de abono de R$ 300 para os servidores da Brigada Militar em duas parcelas (R$ 140 para outubro e R$ 160 para abril do ano que vem, além de R$ 1,2 mil em promoções). Para o presidente da Associação de Cabos e Soldados, Leonel Lucas, o valor é considerado satisfatório e resta avaliar o calendário das incorporações e as promoções – a categoria entende que 5 mil policiais devem ser promovidos.

A Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes manifestou descontentamento com a proposta do abono, conforme afirmou o vice-presidente da entidade, Olivo Moura, no programa Guaíba Cidades.

Para Moura, a proposta não contemplou as expectativas porque a categoria esperava um calendário de reajustes até o final do governo. Ela preocupa porque hoje os militares podem receber e, amanhã, ser retirado. Os representantes dos policiais de nível médio voltaram a reivindicar, assim como a Associação de Cabos e Soldados, um calendário de incorporação desse abono nos vencimentos, junto ao chefe da Casa Civil, Carlos Pestana.

Moura afirmou que o salários básico de um tenente da BM é de R$ 866,86. A expectativa é de que o valor chegasse a R$ 2 mil.

Os policiais de nível médio vão aguardar a reunião de quinta-feira com o governo do Estado. O resultado será apresentado à categoria já com a contraproposta, segundo Moura. Ele reiterou que eles não queriam receber o abono.

Em relação aos protestos com queimas de pneus, ele não descartou a participação individual de servidores de qualquer nível da Brigada Militar. Ele não concorda com a interrupção do direito de ir e vir das pessoas. “A queima de pneus acaba prejudicando e jogando a população contra a categoria.”, afirmou.

     Ouça o áudio: Vice-presidente da Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes da BM, Olivo Moura

Fonte: Rádio Guaíba