Soldados do interior pressionam e associação deve aceitar proposta de reajuste do governo

30

No que depender da avaliação de Cabos e Soldados do interior do Estado, a categoria deverá aceitar a proposta de reajuste salarial oferecida pelo governo. Dos 12 núcleos da entidade, oito decidiram aceitar os 23,5%. Entre os quatro núcleos que rejeitaram, está o da Capital. A reportagem da Rádio Gaúcha teve acesso ao documento que reúne as decisões das assembleias regionais da Associação de Cabos e Soldados da Brigada Militar (Abamf).

O presidente da entidade, Leonel Lucas, não confirma a informação e diz que só irá se manifestar após a reunião com o governo. Nesta quinta-feira a Associação de Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militarrejeitou, por unanimidade, a proposta de reajuste do Piratini, que varia de 11% a 18%.

Segundo o presidente da entidade, Aparício Santelano, a categoria defende o reajuste linear e decidiu por pedir 25% para todos os servidores do nível médio. O presidente da Abamf, Leonel Lucas, chegou a participar desta reunião e discursou dizendo que buscaria pela não divisão das categorias.

Para tratar das questões, o governo marcou reuniões em separado, contrariando o pedido dos presidentes das associações. Às 14h desta quinta-feira ocorre a reunião com a Associação de Cabos e Soldados. Já a Associação de Sargentos Subtenentes e Tenentes será recebida às 9h30min de sexta-feira.

Ao saber das reuniões em separado Aparício Santelano se mostrou surpreso, mas destacou que categoria não mudará posição, mesmo que os soldados aprovarem o reajuste.

ZERO HORA

Radio Gaucha