ÁUDIO: polícia divulga escutas telefônicas de suspeitos por protestos e ataque a governador

69

Dois PMs foram indiciados por participação nas manifestações

A Polícia Civil divulgou áudios de escutas telefônicas em que Policiais Militares suspeitos planejam protestos com queima de pneus no Estado e negociam a divulgação de um vídeo, onde anunciavam que fariam ameaças contra o governador Tarso Genro.

Nelas, João Carlos de Sousa, segundo-sargento da reserva da BM, aparece combinando o momento em que colocaria fogo em pneus em frente à prefeitura de Alvorada, e o soldado do 24° BPM de Alvorada Marcelo Machado Maier, negociando a veiculação de um vídeo com uma emissora de TV (cujo nome foi omitido pela delegada Graciela Foresti por entender que a empresa não havia praticado crime algum), onde aparecia combinando os atos de ameaça ao governador que ocorreram na Capital em meados de setembro. Em uma das gravações, Maier oferece imagens dos atos a uma emissora de televisão.

Nesta quarta-feira, dois PMs foram indiciados por participação nas manifestações. Segundo a delegada, as interceptações telefônicas foram determinantes para a identificação dos suspeitos.

O inquérito policial-militar da BM ainda está aberto, já que outras provas estão sendo apuradas por envolverem integrantes da corporação. O trabalho da corregedoria e da inteligência da Brigada Militar consistiu em identificar todo o percurso do vídeo em que Maier aparece mascarado anunciando os atos de ameaça ao governador que ocorreram na Capital, desde a negociação até a entrega do material para uma emissora de TV.

Por meio de um programa de computador, o Instituto-geral de Perícia conseguiu tirar a camuflagem da voz e retornar ao timbre original de Maier, a pedido da Brigada Militar. Depois disso, compararam com outro vídeo gravado por Maier e que estava disponível na internet. A suspeita é de que Maier também esteja envolvido no caso dos explosivos largados na Rua Fernando Machado, na Capital, no dia 23 de setembro. A BM recebeu da Polícia Civil a gravação telefônica em que Sousa relata a queima de pneus, o que servirá de prova no processo administrativo interno contra os supostos envolvidos nos atos.

O advogado Nilton César Paulette de Oliveira, representante de Sousa informou que entrará com um pedido de liberdade provisória do seu cliente entre a madrugada e a manhã de hoje. Ele afirma que a alegação de que tenha havido desacato durante o mandado é falsa e não quis comentar a respeito do indiciamento. Zero Hora desconhece a existência do advogado de Marcelo Maier.

Ouça as gravações:

 

 

 

ZERO HORA