‘Cidade Maravilhosa’ vive expectativa para o despertar de um monstro

58

Mentira? Sensacionalismo? Ficção? Como queiram. Mas não digam que não avisamos…

Anote aí: daqui a poucos dias, o governo do Rio de Janeiro vai fazer igualzinho ao do Ceará. Simplesmente porque os policiais e bombeiros cariocas estão fazendo exatamente como os cearenses.

No estado nordestino, os profissionais da segurança se uniram, se organizaram e protagonizaram o desfecho que todos já sabem. Lá no Sudeste, os homens e mulheres da segurança já vêm ‘conversando’ há um bom tempo. E nós já podemos prever o resultado.

Na terra do Cid Gomes, as esposas dos policiais entraram na luta (publicamos um vídeo aqui no ParaibaemQAP). Na área do Sérgio Cabral, as guerreiras companheiras dos profissionais ‘assinam’ o que poderíamos chamar de material subversivo na fragilizada democracia brasileira e acordaram um monstro que, pode anotar, vai fazer tremer o território carioca.

O monstro do vídeo é uma ficção. A força que o inspira, não.

 

No Ceará, eles avisaram que iriam poupar o Natal, mas cruzariam os braços no Reveillon. No Rio, as categorias farão uma mobilização no próximo invejado domingo (29) carioca e já falam em greve na festa mais badalada do país – o Carnaval.

Cid pagou pra ver, mas quem saiu no prejuízo foi o povo. Foram precisos seis dias de pânico nas ruas cearenses para que o governador enxergasse a guerra perdida.

Sérgio, sem sombra de dúvidas, viu o exemplo cearense e talvez até tenha conversado pessoal com o irmão de Ciro Gomes. Sérgio sabe o que está por vir. Evitar ou não um mal maior é uma decisão única e exclusivamente dele.

Ilusão

É certo que alguém pode enxergar artigos como este uma “instigação à greve de policiais”. Como queiram. Só não nos acusem de queremos tapar o sol com a peneira. Em Outubro de 2010, quando grande parte da imprensa alimentava a esperança, nós fizemos o alerta. Deu no que deu.

O monstro do vídeo é uma ficção. A força que o inspira, não.

Anote aí: daqui a poucos dias, o governo do Rio de Janeiro vai fazer igualzinho ao do Ceará. Simplesmente porque os policiais e bombeiros cariocas estão fazendo exatamente como os cearenses.

No estado nordestino, os profissionais da segurança se uniram, se organizaram e protagonizaram o desfecho que todos já sabem. Lá no Sudeste, os homens e mulheres da segurança já vêm ‘conversando’ há um bom tempo. E nós já podemos prever o resultado.

Na terra do Cid Gomes, as esposas dos policiais entraram na luta (publicamos um vídeo aqui noParaibaemQAP). Na área do Sérgio Cabral, as guerreiras companheiras dos profissionais ‘assinam’ o que poderíamos chamar de material subversivo na fragilizada democracia brasileira e acordaram um monstro que, pode anotar, vai fazer tremer o território carioca.

No Ceará, eles avisaram que iriam poupar o Natal, mas cruzariam os braços no Reveillon. No Rio, as categorias farão uma mobilização no próximo invejado domingo (29) carioca e já falam em greve na festa mais badalada do país – o Carnaval.

Cid pagou pra ver, mas quem saiu no prejuízo foi o povo. Foram precisos seis dias de pânico nas ruas cearenses para que o governador enxergasse a guerra perdida.

Sérgio, sem sombra de dúvidas, viu o exemplo cearense e talvez até tenha conversado pessoal com o irmão de Ciro Gomes. Sérgio sabe o que está por vir. Evitar ou não um mal maior é uma decisão única e exclusivamente dele.

Ilusão

É certo que alguém pode enxergar artigos como este uma “instigação à greve de policiais”. Como queiram. Só não nos acusem de queremos tapar o sol com a peneira. Em Outubro de 2010, quando grande parte da imprensa alimentava a esperança, nós fizemos o alerta. Deu no que deu.

O monstro do vídeo é uma ficção. A força que o inspira, não.

Anote aí: daqui a poucos dias, o governo do Rio de Janeiro vai fazer igualzinho ao do Ceará. Simplesmente porque os policiais e bombeiros cariocas estão fazendo exatamente como os cearenses.

No estado nordestino, os profissionais da segurança se uniram, se organizaram e protagonizaram o desfecho que todos já sabem. Lá no Sudeste, os homens e mulheres da segurança já vêm ‘conversando’ há um bom tempo. E nós já podemos prever o resultado.

Na terra do Cid Gomes, as esposas dos policiais entraram na luta (publicamos um vídeo aqui noParaibaemQAP). Na área do Sérgio Cabral, as guerreiras companheiras dos profissionais ‘assinam’ o que poderíamos chamar de material subversivo na fragilizada democracia brasileira e acordaram um monstro que, pode anotar, vai fazer tremer o território carioca.

No Ceará, eles avisaram que iriam poupar o Natal, mas cruzariam os braços no Reveillon. No Rio, as categorias farão uma mobilização no próximo invejado domingo (29) carioca e já falam em greve na festa mais badalada do país – o Carnaval.

Cid pagou pra ver, mas quem saiu no prejuízo foi o povo. Foram precisos seis dias de pânico nas ruas cearenses para que o governador enxergasse a guerra perdida.

Sérgio, sem sombra de dúvidas, viu o exemplo cearense e talvez até tenha conversado pessoal com o irmão de Ciro Gomes. Sérgio sabe o que está por vir. Evitar ou não um mal maior é uma decisão única e exclusivamente dele.

Ilusão

É certo que alguém pode enxergar artigos como este uma “instigação à greve de policiais”. Como queiram. Só não nos acusem de queremos tapar o sol com a peneira. Em Outubro de 2010, quando grande parte da imprensa alimentava a esperança, nós fizemos o alerta. Deu no que deu.

ParaibaemQAP