Policiais de SP apoiam paralisação

36

Integrantes da Associação dos Policiais Civis e Militares de São Paulo (Associapol) realizaram ontem ato em apoio à paralisação dos PMs na Bahia. Com faixas e cartazes, eles caminharam pela avenida Tiradentes, na região central da capital paulista.

No Rio, policiais civis, militares e bombeiros realizam assembleia e podem paralisar a partir de amanhã. Eles pedem melhores condições de trabalho e reajuste salarial. Hoje, os oficiais da PM da Bahia realizam assembleia para decidir se aderem à paralisação da corporação. A assembleia foi convocada pela Associação dos Oficiais, que representa cerca de 1,6 mil militares.

No Paraná, policiais civis e militares aguardam para a próxima semana uma resposta do governo do Estado às reivindicações salariais. As duas classes afirmam que estão mobilizadas e prometem assembleias tão logo recebam as propostas. No início da semana, o governador Beto Richa não escondeu a preocupação com a reação dos policiais. “Receio sempre há, não seria hipócrita de não reconhecer que estamos sujeitos a uma greve maior, mas todo o esforço do governo para evitar esse tipo de situação será empreendido”, disse. Segundo Richa, o governo tem apresentado disposição para negociar. “E nós queremos negociação.”

Correio do Povo