Santellano vê incoerência entre discurso e práticas do Piratini

50

Declarações de Tarso sobre situação financeira do Estado são questionadas

Na semana em que o governador Tarso Genro anunciou em seus discursos que o Estado havia atingido a melhor condição financeira dos últimos anos, entidades que representam servidores de setores tidos como prioridade pelo Palácio Piratini – educação e segurança – manifestam descontentamento com o andamento das negociações sobre os reajustes salariais. Algumas questionam as prioridades reais do governo.

O presidente da Associação dos Sargentos Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar (Asstbm), Aparício Santellano, critica a postura adotada pelo Executivo até agora. “O governo diz que está tudo bem, mas o secretário (da Casa Civil, Carlos Pestana) diz que não tem dinheiro.” Santellano afirma ainda que há diferenças entre o discurso e a prática no Piratini. “O que estão oferecendo para a categoria são só migalhas”, diz. A ASSTBM espera que o governador Taso Genro e o Chefe da Casa Civil, Carlos Pestana atendam a reivindicação entregue através de um documento solicitando a recuperação dos salários dos sargentos e tenentes, que tiveram um aumento com índice dez vezes menor do que foi concedido aos capitães. Santellano cobrou do Executivo uma reparação em relação ao reajuste concedido em 2011, com índices percentuais inferiores a outros postos e graduações da Brigada Militar. Lembrando que o governador Tarso Genro, em 2011 prometeu aos Sargentos e Tenentes que receberiam o aumento devido.

Segurança Pública

A proposta feita pelo governo ao Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia (Ugeirm) é remunerar por subsídio. Em 2018, os agentes policiais teriam a seguinte remuneração bruta total: R$ 3.738,23 (inspetor/escrivão 1 classe), R$ 5.426,46 (inspetor/escrivão 2 classe), R$ 7.114,69 (inspetor/escrivão 3 classe), R$ 8.802,93 (inspetor/escrivão 4 classe) e R$ 10.491,16 (comissário de Polícia). A categoria pede verticalidade com a remuneração dos delegados de Polícia.

A Associação dos Sargentos Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar (ASSTBM) pede verticalidade com vencimentos de coronel. Em 2011, o Palácio Piratini apresentou reajustes em duas parcelas, em setembro de 2011 e abril de 2012, para as patentes. O reajuste representou, na prática, R$ 91,00. A entidade espera por outra reunião para que sejam apresentados novos índices.

Fonte: Correio do Povo