De Daniela Mercury para a polícia: “Vocês têm que ser éticos e honestos. A gente não aceita mais tanta corrupção!”

24

Conceito por conceito, a própria cantora deveria rever muitas de suas ações. É honesto contar a metade da história em troca de dinheiro? 

Quando o intelectual revolucionário Karl Marx decidiu combater o sistema capitalista lá pelos anos de 1850, certamente não imaginava que os efeitos negativos do novo modelo econômico que se erguia chegassem tão longe.

Mas não viajemos a tão longe. Nessa terça-feira 21 de Fevereiro de 2012, em pleno Carnaval baiano, a cantora Daniela Mercury decidiu discursar sobre “as mazelas sociais que atingem o Brasil”, como frisa um portal daquele estado.

“Ressaltando as fraquezas do país”, diz o site, a cantora pediu democracia de direito, de respeito, de ético, porque é assim que a democracia tem que ser.”

Mais adiante, num recado mais direto, Mercury viu que não havia mais riscos de uma greve da PM acabar de vez com o Carnaval 2012 [ela teria muito ‘prejuízo capitalista’, não?] e passou a atacar a Polícia Militar.

– Nós queremos uma Polícia Militar que respeite o seu povo. Porque a Polícia Militar é uma instituição primordial. Vocês têm que dar segurança para a população. Vocês estão aí para proteger e não para matar; estão aí para proteger e não para bater. Chega! Vocês têm que ser éticos, honestos. A gente não aceita mais tanta corrupção”, esbravejou Daniela, arrancando aplausos de empresários e do operariado.

Democracia?

Até onde se sabe, o conceito de ‘Democracia’ sugere não apenas deveres, mas DIREITOS para todos. E até onde se sabe, os militares são os ÚNICOS profissionais brasileiros proibidos, sob pena de PRISÃO, de se manifestarem em greve. A cantora baiana chamaria isso de democracia?

Ética?

O conceito de ética também não se resume ao que se quer dizer em cima de um trio elétrico. Exemplo: seria ‘ético’ por parte de uma artista nacionalmente famosa fazer propaganda de bebida alcoólica [droga permitida!], mesmo sabendo que seu recado vai atingir em cheio jovens e adolescentes num país que ‘se mata’ no trânsito?

Honestidade? Corrupção?

O desejo da cantora baiana é exatamente o nosso: que os policiais (e os médicos, os advogados, os jornalistas, os professores, os juízes, etc.) sejam todos honestos e nunca se entreguem à corrupção. Porém, a cantora se esqueceu de dizer em cima do trio que o grande nascedouro de todos essas “mazelas sociais que atingem o Brasil” está justamente naqueles que pagam muito dinheiro para ela cantar e atacar apenas ‘uma parte’ do problema. De preferência, a parte mais fragilizada, sem espaços [pagos] na grande mídia, para uma resposta à altura e de mesmo alcance.

Marx

Se o economista, filósofo, historiador, teórico político e jornalista Karl Marx estivesse vivo, poderia até dançar axé ao som de Daniela Mercury, que sem sombra de dúvidas é detentora de uma das vozes mais bonitas do Brasil.

Mas lá da ‘pipoca’ ele refutaria: “Daniela, fale a verdade: você está sendo paga pelo governo do estado para desgastar ainda mais a imagem dos policiais, de modo que esses profissionais nunca tenham o apoio da sociedade para levarem uma vida diga! Isso é capitalismo desumano, Daniela!

Viva a verdadeira democracia.


ParaibaemQAP