Agentes Penitenciários: Protesto prejudica audiência de presos

32

Os agentes penitenciários, lotados no Núcleo de Segurança e Disciplina da Susepe — responsável pela escolta e pela transferência de presos —, deflagraram a Operação Legalidade. Somente ontem, 150 audiências deixaram de ser realizadas. Os agentes reivindicam melhores condições de trabalho, como substituição de coletes à prova de balas vencidos, além do pagamento de seis meses de diárias de viagens para a condução de detentos. Em média, o Núcleo de Segurança e Disciplina atende de 150 a 180 audiências, abrangendo Porto Alegre e região Metropolitana.

Segundo o diretor jurídico do Sindicato dos Servidores Penitenciários do RS (Amapergs — Sindicato), Cristiano Fortes, 80% do efetivo está parado. Apenas 20% está fazendo as escoltas.

De acordo com Fortes, a entidade já fez contato com a Susepe e os agentes aguardam uma resposta formal. Ele advertiu que não será aceita apenas uma resposta verbal, mas sim um documento firmado pelo governo do Estado. “Depois disso, vamos fazer uma assembleia com a categoria e ver se aceitam ou não”, disse Fortes. “Na semana passada, em uma reunião com o superintendente, comunicamos que faríamos a operação”, disse.

A Susepe alegou não ter sido comunicada oficialmente da paralisação do NSD. Segundo a instituição, nenhum documento foi enviado nesse sentido. No final da tarde, o diretor do Departamento de Segurança e Disciplina (Desep), Mário Pelz, foi até a sede do NSD, no bairro Partenon, para conversar com os agentes.

Fonte: Jornal Correio do Povo

Postado por Comunicação DEE ASSTBM