Melhorar salários deve contribuir para valorizar o servidor, diz Tarso

62

Governador do RS entregou relatório anual de prestação de contas nas redações do Correio do Povo e da Rádio Guaíba

Em visita ao Correio do Povo e à Rádio Guaíba, na manhã desta segunda-feira, o governador Tarso Genro destacou a soma de R$ 30 bilhões de investimentos privados em execução no Rio Grande do Sul como o ponto alto do governo em 2012. Além disso, ele afirmou que o movimento para melhorar o salário do funcionalismo deve contribuir para valorização do serviço público. “Estamos saindo da crise com crescimento. Temos que apostar no fator humano para fazer com que as pessoas recuperem a autoestima”, disse.

As informações constam no relatório anual de prestação de contas entregue nas redações dos dois veículos de comunicação. “Este ano, tivemos uma boa safra e um crescimento econômico robusto. Foi um conjunto de notícias maravilhosas, incluindo a ampliação da Celulose Riogradense e o anúncio de duas plataformas (marítimas) em São José do Norte”, afirmou o governador.

Segundo ele, a imprensa é importante para “divulgar as notícias boas e ajudar a alavancar a o Rio Grande do Sul”. Na redação do Correio do Povo, Tarso lembrou, com carinho, da época em que era crítico literário do extinto Caderno de Sábado. “Cheguei de Santa Maria, em 1973, e entreguei meus textos para o Sérgio Faraco”, contou. Para o governador, o suplemento foi importante para revelar intelectuais gaúchos. “Mario Quintana, Erico Veríssimo e tantos outros fizeram parte do caderno”, comentou com a secretária de Comunicação e Inclusão Digital do Rio Grande do Sul, Vera Spolidoro.

A expectativa para o Estado em 2013 é boa, na avaliação do governador. “Tudo aquilo que foi plantado vai desabrochar. O Rio Grande do Sul está preparado para crescer”, observou. Tarso deixou um abraço e votos de feliz Natal e Ano Novo para as direções e para os funcionários do Correio do Povo e da Rádio Guaíba.

Eleições de 2014

O governador disse que a base aliada está livre para articular candidaturas para a campanha eleitoral de 2014. “Todos os parceiros assumiram compromisso conosco para os quatro anos. Não é obrigação apoiar uma chapa que tenha o PT”, explicou. Por isso, ele garantiu que não haverá reajustes de espaço dos partidos que compõe o governo. “Se alguma das legendas decidir sair, os próprios partidos vão encontrar o momento certo para fazer isso”, destacou.

O PDT vem sendo assediado pelo PMDB, o que teria alarmado os petistas e estimulado uma aproximação. Tarso chegou a se reunir com o presidente do PDT no Estado, Romildo Bolzan Jr., para fazer uma avaliação do quadro estadual. “Eu estimulo que ocorra uma discussão no PDT”, declarou Tarso.

Fonte: Karina Reif / Correio do Povo