Ainda sem fala, soldado ferido no episódio do Tatu-Bola recebe alta

271

Ausência de outros diagnósticos levaram à tese do Transtorno do Estresse Pós Traumático

Depois de mais de 80 dias de internação hospitalar, dezenas de exames e nenhuma resposta, o soldado Eriston Moura, de 25 anos, ferido durante a manifestação de ativistas contrários à privatização do Largo Glênio Peres, na Capital, recebeu alta do Hospital Ernesto Dorneles e voltou hoje para casa, em Cachoeira do Sul. 

A ausência de outros diagnósticos levaram à tese do Transtorno do Estresse Pós Traumático. Ferido na cabeça por um manifestante no chamado “episódio do Tatu-Bola”, em 4 de outubro do ano passado, quando o peso de um paralelepípedo rompeu o capacete de proteção e provocou uma lesão, o integrante do Pelotão de Operações Especiais do 9º BPM da Capital passou a apresentar, no fim de novembro, quadro de paralisia e outras reações físicas, que, gradativamento o impediram de trabalhar, de falar e até de caminhar. 

Em 18 de dezembro, segundo a mãe do soldado, Belquis Reani Moura, Eriston foi internado e, desde então, permanece, praticamente, em estado vegetativo. Ela relata, porém, que quando a família esquece a TV ligada e aparecem imagens do dia do confronto, o filho se agita e chora muito. “Alguma coisa dentro dele não consegue dizer porque perdeu a fala”, explica.
eristonSegundo Belquis, o neurologista Ricardo Santin, que atendeu Eriston no Hospital Ernesto Dornelles foi quem concluiu pelo TEPT. O médico recomendou fisioterapia, terapia cognitivocomportamental e medicamentosa. Ela reclama que o filho só teve uma semana de licença, em outubro, antes de voltar ao policiamento, e que ainda se dizia traumatizado quando retornou ao trabalho. 

Neste domingo, com apoio do Comando do Policiamento da Capital (CPC), amigos do PM fazem um brechó, a partir das 9h, no Brique da Redenção. O objetivo é reverter verbas para auxiliar a família no tratamento do soldado. 

     Ouça o áudio: Belquis Reani Moura

Fonte: Ieda Risco/Rádio Guaíba

Postado por Comunicação DEE ASSTBM