Campanha de vacinação contra gripe começa na segunda-feira

50

Em Porto Alegre, doses estarão à disposição em 55 postos de saúde

Em Porto Alegre, doses estarão à disposição em 55 postos de saúde  Crédito: Ivo Gonçalves / PMPA / Divulgação / CP
Em Porto Alegre, doses estarão à disposição em 55 postos de saúde
Crédito: Ivo Gonçalves / PMPA / Divulgação / CP

Começa na segunda-feira a 15ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que este ano tem como meta a imunização de pelo menos 80% da população considerada de risco. Fazem parte desse grupo crianças de seis meses a dois anos; adultos com 60 anos ou mais; gestantes e mulheres que tenham dado à luz há até 45 dias; portadores de doenças crônicas; e trabalhadores em saúde. 

Para os grupos de risco a vacinação é gratuita e poderá ser feita em todas as unidades públicas de saúde. Em Porto Alegre, estão à disposição 55 Unidades Básicas de Saúde (UBS), que funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, e 88 Unidades de Estratégia de Saúde da Família (USF), com atendimento das 8h às 12h e das 13h às 17h. 

Em 20 de abril, será realizado o Dia de Mobilização Nacional, com o slogan “Quem lembra da vacina se protege da gripe”. O objetivo da campanha é reduzir ao máximo a mortalidade e as complicações causadas pelo vírus da gripe, que levam pacientes a internações hospitalares. Estudos realizados nos últimos anos comprovam que a vacinação diminui em 32% a 45% as internações por pneumonias e em 39% a 75% o índice de mortes entre a população em geral. Analisando apenas a população de idosos, as pesquisas demonstram que a possibilidade de pneumonia cai em 60% com a vacina; o risco de hospitalização em decorrência de complicações da gripe, em 50%; e de morte, em 68%. 

A vacinação não é recomendada somente para pessoas que tenham manifestado reação alérgica em aplicação anterior ou que sejam alérgicas a ovo de galinha ou derivados. Mesmo assim, aquelas que apresentam apenas urticária depois de consumir ovos ou alimentos que contenham o produto podem receber a vacina. Neste caso, devem informar a equipe da unidade de saúde sobre essa questão. Quem estiver com febre (mesmo sendo baixa) deve esperar o desaparecimento do sintoma para se vacinar. 

Prevenção 

A gripe é uma doença respiratória infecciosa, causada por vírus, que pode gerar complicações graves e até levar a óbito se não for tratada a tempo e adequadamente. O contágio é transmitido por secreções das vias respiratórias. Além de ser transportado pelo ar – quando a pessoa infectada fala, tosse ou espirra – o vírus pode também se instalar nas superfícies dos ambientes. 

Para se prevenir, é importante lavar ou higienizar as mãos com álcool gel frequentemente e evitar o contato das mãos com a boca, os olhos e o nariz, principalmente em locais de grande circulação de pessoas. Outra recomendação é usar sempre um lenço ao espirrar ou tossir. 

Sintomas

Os sintomas da gripe são semelhantes aos do resfriado. Por isso, o melhor é buscar orientação médica quando aparecem juntos dor de cabeça, congestão nasal, tosse, dores pelo corpo, mal-estar, rouquidão e febre variável. A maioria das pessoas diagnosticadas com gripe e tratadas com medicação antiviral logo que surgem os sintomas se recupera dentro de uma a duas semanas. Mas a forma mais eficaz de combate continua sendo a prevenção por meio da vacina. 

As campanhas nacionais de imunização, promovidas desde 1999 entre abril e maio, vem cumprindo papel relevante ao longo dos anos para puxar para baixo os impactos da gripe na saúde pública. Os resultados se revelam na queda do número de internações hospitalares, dos gastos com remédios para tratamento de doenças infecciosas de origem gripal e do índice de mortes evitáveis.

Fonte: Jornal Correio do Povo

Postado por Comunicação DEE ASSTBM