Capacidade de combate gera polêmica entre Estado e prefeitura

107

Há controvérsia sobre a capacidade de combate a incêndios pelo Corpo de Bombeiros de Porto Alegre. Para o prefeito José Fortunati, falta estrutura para a corporação. Já o secretário da Segurança Pública do Estado, Airton Michels,

defende que o efetivo é suficiente para as demandas da Capital e do Interior. O choque de avaliações se deu ainda sobre a calçada da avenida Júlio de Castilhos, de onde as autoridades assistiam e coordenavam as ações de combate ao fogo, controle da multidão atraída pelo incêndio e início do planejamento das providências.

Fortunati garantiu que toda a estrutura física que deve ser provida pela prefeitura funcionou bem. “Os hidrantes foram revisados recentemente e estavam em atividade.

Quando foi necessário, o Dmae (Departamento Municipal de Água e Esgotos) direcionou mais pressão naquela seção da rede hidráulica”, garantiu o prefeito. “Havia extintores, mas, porque o Mercado estava fechado, não tinha gente para

operá-los. Tenho convicção que o efetivo do Corpo de Bombeiros de Porto Alegre é pequeno para um incêndio desse porte”, garantiu o prefeito. Ele elogiou a agilidade e o empenho dos bombeiros que atuaram no incidente.

Fonte Correio do Povo

Foto: Arquivo ASSTBM

Postado por Comunicação DEE ASSTBM

Gu-bombeiros