Redes sociais ajudam a atividade policial

148

A instituição policial deve usar as redes sociais para melhorar sua atuação.

A declaração é do superintendente da Academia Nacional de Polícia, da Inglaterra, Steve France- Sargeant que esteve nessa semana na Capital mostrando a experiência britânica na segurança pública e nos grandes eventos.

“As redes sociais são ferramenta importante e essencial para a tática policial”, afirmou, observando que elas permitem a aproximação da instituição com a sociedade.

France-Sargeant destacou que a valorização das redes sociais surgiu na Inglaterra após a onda de distúrbios em Londres e em outras cidades, em agosto de 2011. Em sua avaliação, o alastramento das manifestações violentas ocorreu a partir da Web. No entanto,

ele contou que o mesmo conflito foi evitado em Southampton, graças à rápida articulação e ao planejamento em conjunto com a comunidade e até com a mídia local.

Na Inglaterra, que possui uma força policial única, a legitimidade e respeito da instituição é grande diante da comunidade.

O oficial britânico ressaltou que existe um trabalho de cooperação entre policiais e cidadãos, resultado do policiamento comunitário, do uso progressivo da força, da participação voluntária da comunidade na vigilância e da obediência da lei, do planejamento de políticas baseadas em inteligência e de entre outros.

Steve France-Sargeant observou ainda que existe a necessidade de ser mantido sempre um equilíbrio entre a liberdade total e o controle total. “A atividade policial é um serviço público”, lembrou, destacando que o objetivo principal é a prevenção, e não a repressão. Por fim, enfatizou que a cultura da arma não existe na Inglaterra, o que faz a maioria dos policiais andar desarmada, com apenas unidades específicas dotadas de armamento.

Em relação à Copa de 2014 e às Olimpíadas de 2016 no Brasil, ele sugere que as polícias militares estruturem suas ações pensando também de que forma os estrangeiros vão compreender a cultura local.

Modelo inglês vem do século 19

O modelo atual da instituição policial inglesa segue o idealizado por Sir Robert Peel, no fim do século 19. Ele criou uma força policial disciplinada e uniformizada para atuar desarmada, incentivando o tratamento cordial e o autocontrole.

Formulou nove princípios que norteiam até hoje a cultura policial britânica.

O primeiro indica que a missão fundamental da Polícia é prevenir o crime e a desordem.

Outro diz que a Polícia “deve manter um relacionamento com o público que dá força à tradição histórica de que a Polícia é o público e o público é a Polícia”.

Steve France-Sargeant citou Peel ao lembrar que o teste de eficiência policial é a ausência do crime, e não a evidência visível da ação da Polícia em lidar com ele. Destacou ainda o princípio que diz:

“O grau de cooperação do público pode ser garantido se diminuir proporcionalmente a necessidade do uso de força física”.

Em seu país, explicou o oficial britânico, existem cinco níveis para o uso progressivo da força, sendo a última alternativa o uso de arma.

 Fonte e foto: Correio do Povo

Postado por Comunicação DEE ASSTBM

France-Sargeant fez palestra na Academia da BM
France-Sargeant fez palestra na Academia da BM