Canetaço em favor das cúpulas provoca inconformidade entre oficiais da Brigada.

Como a família brigadiana está sempre de olho em minha torre, aponto que o projeto de lei do Executivo que tramita em regime de urgência na Assembleia Legislativa, que majora as gratificações do comando, subcomando-geral e chefia do Estado Maior da Brigada Militar, assim como da chefia e subchefia da Polícia Civil, entrou em pauta no dia 03/12/2013, trancando a tramitação de todos os demais projetos que tramitam no Legislativo. O mote principal da iniciativa do Piratini é o de brindar as cúpulas da segurança pública com gratificações equânimes aos demais elevados postos do Executivo. A oficialidade brigadiana, segundo o presidente da ASOFBM (Associação dos Oficiais da Brigada Militar) não é contra o diploma do Piratini, apenas reivindica que o benefício seja extensivo a toda a categoria de oficiais. De minha torre, entendo como cruel congelar os menores soldos (de soldado a capitão) como os dos menos graduados servidores da Polícia Civil e elevar, num canetaço, os ganhos dos amigos do rei que formam um petit comité

Fonte: Wanderley Soares

Jornal O Sul

wander.cs@terra.com.br

http://www.pampa.com.br/novo/jornalosul/colunista.php?colunista=WanderleySoares

Postado por Comunicação DEE ASSTBM

O Sul

Deixe um comentário