Polícia investiga envolvimento de PMs em caso de incêndio de viaturas em Porto Alegre

60

As primeiras análises dos peritos mostram que fogo foi premeditado

Os mais de 30 policiais do serviço reservado da Brigada Militar que investigam o incêndio de 10 caminhonetes zero-quilômetro estacionadas no pátio da Academia de Polícia Militar, ocorrido na noite de segunda-feira, apostam numa linha de investigação: “fogo amigo”, para ficar num trocadilho.

Há certeza de que ocorreu um atentado, e as suspeitas maiores recaem sobre integrantes da própria BM. A motivação é desconhecida. As primeiras análises dos peritos são taxativas de que houve o fogo foi premeditado.

A academia ministra atualmente um curso para o posto de capitão com 194 candidatos a oficial da BM, todos com curso superior. As vidas deles estão sendo averiguadas em detalhes, para verificar se há qualquer pista no sentido de que possam estar envolvidos em algo relacionado ao atentado. Um grupo de 15 PMs que faziam a guarda também é investigado. Dois deles tiravam serviço e faziam vigilância numa guarita situada a poucos metros do local do incêndio. Todos foram ouvidos em separado e liberados somente às 19h de terça-feira, quase 24 horas após o incêndio.

— A verdade é que as investigações estão focadas em alguma represália feita por alguém da própria corporação, talvez descontente até por razões pessoais ou alguma punição — afirma um ex-comandante da BM, ouvido por ZH.

Leia na íntegra

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/policia/noticia/2014/02/policia-investiga-envolvimento-de-pms-em-caso-de-incendio-de-viaturas-em-porto-alegre-4431755.html

Fonte: Carlos Wagner e Humberto Trezzi

carlos.wagner@zerohora.com.br, humberto.trezzi@zerohora.com.br

Jornal Zero Hora

Postado por Comunicação DEE ASSTBM

Viaturas da BM foram incendidadas na Academia da Polícia Militar Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS
Viaturas da BM foram incendidadas na Academia da Polícia Militar
Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS