Jornais: governo vai tentar barrar na Justiça greve de PMs na Copa

63

2014-715947565-2014-714362712-2014051505226.jpg_20140515.jpg_20140521Governo também planeja cobrar de líderes custos de eventual uso da Força Nacional; paralisações afetaram recentemente BA e PE e há indicativos de novas mobilizações durante o Mundial 

Governo vai tentar barrar na Justiça greve de PMs na Copa

Com receio de que greves na área de segurança criem problemas internos durante a Copa e arranhem a imagem do Brasil no exterior, o governo decidiu atacar os movimentos com ações na Justiça Federal e medidas que atingem o bolso dos grevistas.

São duas as principais frentes que serão adotadas na Copa: o governo vai entrar com ações judiciais contra as paralisações, medida que hoje cabe aos Estados, e quer cobrar de líderes de greve que arquem com os custos de eventual emprego da Força Nacional para garantir a ordem pública.

Recentemente, uma onda de greves de policiais militares afetou Estados como a Bahia e Pernambuco, e a violência explodiu no período com cenas de saques e depredações. Há indicativos de que novas paralisações de policiais militares, civis e até da Polícia Federal ocorram no período da Copa.

Na sexta-feira (23), jornalistas estrangeiros demonstraram preocupação com as greves na área de segurança pública em entrevista de ministros do governo envolvidos com a questão.

CONGRESSO EM FOCO