FOGO AMIGO – Empresa faz recall de pistolas da PM de SP

610

Um defeito de fábrica forçou uma empresa gaúcha a fazer um recall inusitado de armas. O problema foi registrado nas pistolas calibre .40 produzidas pela Forjas Taurus, no Rio Grande do Sul, e vendidas à Polícia Militar do estado de São Paulo.

As armas estavam disparando sozinhas, mesmo com a trava de segurança acionada. A situação começou a ser registrada em 2013 e causou preocupação, já que os disparos estavam ocorrendo dentro das viaturas da PM paulista. A Forjas Taurus não esclareceu se o recall também se estendeu para outros estados brasileiros. Sabe se que, em 2012, o problema com a mesma arma — pistola .40 Tactical — ocorreu com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, durante treinamentos.

A PM paulista explicou, por nota, que já ocorreram duas revisões nas pistolas entre o ano passado e este. A primeira ocorreu entre maio e setembro de 2013 e a segunda, entre 21 e 26 de julho de 2014. Pelo menos 40 armas teriam apresentado defeito.

De acordo com a PM paulista, em 2013 foram 30 delas. A nota ressaltou que nenhum PM ficou ferido, pois o problema foi detectado a tempo.

Na primeira fase da revisão, técnicos da Forjas Taurus se deslocaram para São Paulo e realizaram o procedimento nas sedes administrativas de Comandos de Policiamento – similar

aos Comandos Regionais de Policiamento Ostensivo gaúchos — que ficam em cidades maiores e concentram diversos batalhões.

Foram feitos “serviços de revisão, que resultaram na substituição de algumas peças internas

das armas, como molas e o rebatedor do cão (tecla de segurança que evita o disparo acidental)”.

A PM paulista ressaltou que houve o recolhimento imediato do armamento, seguido da reposição em todas a unidades.

“A revisão efetuada não comprometeu o desenvolvimento da atividade operacional da instituição”, garantiu a nota.

As autoridades paulistas esclareceram que parte das armas não chegou a ser revisada na primeira fase e, por isso, foi organizada uma segunda etapa, que ocorreu em meados deste ano, também com a presença de técnicos da empresa. Estas armas foram recolhidas e encaminhadas ao Centro de Suprimento e Manutenção de Armamento e Munição, órgão técnico responsável pela aquisição de materiais.

A nota afirma que a PM paulista aguarda um posicionamento oficial da Forjas Taurus sobre as causas dos problemas “que em resumo consistem em disparos involuntários, sem a intervenção do policial ou com a

intervenção deste, mas com disparos sucessivos, fatos considerados atípicos”.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Forjas Taurus só confirmou a revisão ocorrida no ano passado e que o “assunto é antigo, sem novidades”. Por isso, a empresa não se manifestaria sobre o caso. No RS, a Brigada Militar esclareceu que adquiriu um modelo de arma diferente da PM paulista. Em São Paulo foram encomendadas as pistolas .40, modelo 24/7 Tactical.

No Estado, a corporação usa a 24/7 Ação Dupla, que não apresentou problemas. A Polícia Civil gaúcha afirma não ter tido problemas com as armas.

 

Fonte: Correio do Povo de 30/07/2014

Postado por Comunicação DEE ASSTBM

Veja um vídeo demosntrativo:

http://www.youtube.com/watch?v=C9_YWNo1f-o

OBS: A FOTO ABAIXO É MERAMENTE ILUSTRATIVA, NÃO É A ARMA OBJETO DE RECALL.

Pistola40