Policial perde parte de dedos após ser atacado por jacaré em Pelotas, RS

66

Sargento da BM tentava imobilizar boca do réptil quando foi surpreendido.
Animal com 2 metros e 60 centímetros acabou capturado depois do ataque.

Um sargento do Batalhão Ambiental da Brigada Militar teve dois dedos da mão direta dilacerados na manhã desta segunda-feira (1º) depois de ser atacado por jacaré-de-papo-amarelo em Pelotas, na Região Sul do Rio Grande do Sul. Conforme a corporação, o PM foi supreendido pelo animal de 2,6 metros de comprimento quando tentava imobilizá-lo em uma área próxima às margens do Arroio Pelotas.

Jacaré ataca PM em Pelotas (Foto: Raniere Sores/Divulgação Brigada Militar)
pelo Batalhão Ambiental da Brigada Militar (Foto: Raniere Sores/Brigada Militar Divulgação)

Jacaré foi imobilizado e capturado posteriormente

O policial foi levado ao Hospital Santa Casa de Pelotas e passa bem, informou a Brigada Militar. De acordo com o sargento Artur Lemos, que também atua no batalhão, a presença de jacarés na região é considerada comum, mas a unidade não registrava histórico de ataques. “Meu colega tem uma larga experiência. Foi realmente uma reação do animal que surpreendeu. Ele já havia imobilizado as patas do animal e tentava conter os movimentos da boca”, explicou.

O PM atacado estava acompanhado de um colega, que ajudou a prestar os primeiros socorros. Conforme o policial, o sargento perdeu falanges dos dedos médio e anelar da mão direita e foi submetido a cirurgias. Horas depois, outro grupo de policiais retomou o trabalho e capturou o jacaré. Segundo a BM, o animal já está no Núcleo de Recuperação de Animais da Fauna Silvestre da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).

O envio dos PMs até o local ocorreu após uma moradora alertar a corporação sobre a presença do réptil nas imediações de residências. “Ultimamente tem sido comum, porque é uma área de rios. Mas na verdade os estranhos ali são os humanos, já que moradores estão invadindo uma área de jacarés. Por sinal, algumas construções nesses locais são irregulares”, disse Lemos.

Estêvão Pires

Do G1 RS