Câmara de Vereadores aprovou emendas estendendo o benefício a todos os servidores de nível médio | Foto: Diego Vara / CP Memória
Câmara de Vereadores aprovou emendas estendendo o benefício a todos os servidores de nível médio | Foto: Diego Vara / CP Memória

Conforme José Fortunati, proposta é ampla, e deve ser limitada apenas a agentes do policiamento ostensivo e preventivo

O projeto que prevê passe livre em coletivos a policiais militares que não estão utilizando a farda em Porto Alegre deve ser aprovado. De acordo com o prefeito José Fortunati, a única ressalva que deve ser analisada é a abrangência do benefício. Conforme Fortunati, a proposta é ampla, mas deve ser limitada apenas a agentes do policiamento ostensivo e preventivo, e desde que haja alguma forma de identificação.

“Da forma como foi aprovado, o projeto é muito amplo. Ele acaba dando para o setor burocrático e para outros setores, que não fazem parte do policiamento ostensivo, o passe livre. Neste aspecto, sou contrário. O que vamos manter no projeto é a essência básica, para que o policial que faz o policiamento ostensivo e preventivo que atualmente usa farda tenha a possibilidade de se identificar e ter o benefício”, ponderou.

A Câmara de Vereadores aprovou emendas estendendo o benefício a todos os servidores de nível médio da corporação, bombeiros e integrantes da Guarda Municipal. Agora, com a negativa do prefeito, a proposta deve ser novamente discutida pelos parlamentares. Pela proposta, a isenção vale para quando os servidores estiverem em horário de serviço, deslocando-se para o trabalho ou voltando para casa.

O projeto surgiu depois da morte do soldado Márcio Ricardo Ribeiro, de 42 anos, assassinado durante um assalto a ônibus na zona Sul de Porto Alegre. De cada três usuários do transporte coletivo da Capital um não paga a tarifa, segundo a ATP.

Fonte:Eduardo Paganella / Rádio Guaíba

Deixe um comentário