‘Brigadianos não podem protestar’

87

O comandante do 32˚ BPM, major Marcelo Carpes, confirmou que pediu a abertura do Inquérito Policial Militar (IPM) devido à participação dos policiais militares nas manifestações de Sapiranga e Taquara, ocorridas no final do ano passado. O oficial justificou o ato afirmando que “sempre quando se tem indícios de cometimento de crime militar” é aberto o IPM. O oficial informou que é vetada a participação de brigadianos em manifestações, segundo o Código Militar. Carpes disse o IPM tem prazo de 40 dias para ser concluído, podendo ser prorrogado por mais 20 dias.

Fonte: Correio do Povo

Postagem: Comunicação DEE ASSTBM

OBS: A foto é meramente ilustrativa

Grupo de PMs interrompeu o trânsito no sentido Litoral - Capital Foto: Concepa / Divulgação
Grupo de PMs interrompeu o trânsito no sentido Litoral – Capital
Foto: Concepa / Divulgação