40% das horas extras da Brigada Militar serão cortadas

60
Corte foi oficializado na manhã desta terça-feira Foto: Debora Ely / Agência RBS
Corte foi oficializado na manhã desta terça-feira
Foto: Debora Ely / Agência RBS

Economia nas contas do Estado será de R$ 12 milhões em seis meses. Subcomandante-geral da BM garante que policiamento de rua “permanece 100% inalterado”

Cai para 146 mil o número de horas extras mensais acrescidas à jornada do efetivo da Brigada Militar nos próximos meses — até 2014, eram 243 mil. Aredução de 40% nas horas extras da BM e do Corpo de Bombeiros, ferramenta que supre a defasagem policial no Estado, foi oficializada na manhã desta terça-feira. A economia prevista nas contas do Rio Grande do Sul é de R$ 12 milhões em seis meses — período estabelecido pelo decreto de redução de gastos implementado pelo governador José Ivo Sartori (PMDB).

Desde a assinatura da medida que restringe despesas, no dia 2 de janeiro, as horas extras de policiais militares e bombeiros estavam totalmente suspensas — medida polêmica em função do receio de redução de policiais nas ruas. Em uma reunião na noite passada do Comando Geral e regionais da Brigada Militar, a redistribuição dos horários foi definida.

— Em momento algum se mexe no policiamento normal da cidade. O policiamento de rua permanece 100% inalterado. O que pode ocorrer é alguma redução à excepcionalidade — garante o subcomandante-geral da Brigada Militar, coronel Paulo Moacyr Stocker dos Santos.

O subcomandante-geral também garante que, caso seja verificada necessidade durante o período em que o decreto estiver em vigor, pode ser solicitado ao governador a flexibilização da medida.

*Zero Hora