Operação Golfinho terá redução de mais de 60% em fevereiro

76
Caso condições climáticas sigam favoráveis, efetivo será reforçado até abril no litoral Foto: Mauro Vieira  / Agencia RBS
Caso condições climáticas sigam favoráveis, efetivo será reforçado até abril no litoral
Foto: Mauro Vieira / Agencia RBS

Medidas de contenção de orçamento do governador Sartori irão afetar serviços administrativos e projetos sociais

A operação Golfinho da Brigada Militar terá uma redução de dois terços no efetivo a partir do dia 23 de fevereiro. Mas não haverá alteração no número de salva-vidas até 2 de março, quando termina a operação no litoral gaúcho. E b brigada garante que continuará intensificando o policiamento nos finais de semana.

A redução será gradativa, conforme explica o sub comandante geral da brigada Militar, coronel Paulo Moacir stocker: “a partir do dia 23 de fevereiro, deve iniciar uma redução gradativa do efetivo acompanhando inclusive o retorno dos veranistas, em função principalmente do final do Carnaval e também pelo começo do ano letivo”.

Segundo o coronel, essa redução já estava prevista, e as medidas de contenção de orçamento assinadas pelo governador José Ivo Sartori irão afetar apenas os serviços administrativos e projetos sociais, não o policiamento. Trabalham na Operação Golfinho 2,6 mil homens, sendo 1,4 mil no policiamento e 1,2 mil bombeiros.

Caso as condições climáticas continuem favoráveis após a operação golfinho, o efetivo será reforçado até abril. Nesta quinta-feira (29) foi apresentado o balanço da primeira metade da Operação Golfinho. Foram 1.023 salvamentos (882 no litoral norte, 83 no litoral sul e 58 em águas internas), aumento de 18% em relação ao do ano passado. As prisões aumentaram 10%. Já com relação à Balada Segura, o aumento de CNHs apreendidas foi de 107%.

RADIO GAÚCHA