SSP: menor atuação da polícia em políticas sociais explica queda em homicídios e latrocínios no RS

42
IMAGEM ILUSTRATIVA
IMAGEM ILUSTRATIVA

Estratégia contra furtos e roubos de veículos, que aumentaram, vai ser anunciada

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) mudou a estratégia de atuação das polícias desde janeiro. O plano tático reduziu crimes, de acordo com dados divulgados hoje pela Pasta. “Diminuímos a atuação em políticas sociais”, disse o diretor do Departamento de Gestão Estratégica Operacional do órgão. Além disso, o tenente-coronel Luiz Dulinski Porto revelou que houve uma atenção maior aos 19 municípios mais violentos do Estado, onde ocorrem 85% dos crimes.

Nos três primeiros meses do ano, conforme os dados, o número de crimes contra a vida teve queda de 7,7%. Foram registrados no Rio Grande do Sul, no primeiro trimestre do ano 643 homicídios dolosos e latrocínios. A cidade mais violenta foi Porto Alegre, com 166. No ano passado, no Estado, foram 655. Também houve queda no número de latrocínios, furtos e extorsão mediante sequestro. “Você começar a se preocupar se o serviço médico está chegando, você começar a se preocupar se a energia elétrica está lá, você se preocupar com a educação infantil… isso não faz parte da área policial”, explicou o oficial.

O policial não revelou quais são as cidades mais violentas do Estado. Disse que trata-se de uma estratégia da Pasta. Revelou, no entanto, que Porto Alegre é a líder na relação. “Até pelo tamanho… condição econômica”, apontou.

Estratégia contra furtos e roubos de veículos vai ser anunciada

Por outro lado, os roubos e furtos de veículos cresceram, entre janeiro e março, na comparação com o mesmo período de 2014. No primeiro trimestre do ano passado foram 7.878 roubos e furtos de veículos. Em 2015, foram 8.839. O coronel anunciou que nos próximos meses uma ação específica vai coibir a receptação. “O furto e o roubo acontecem porque está havendo a comercialização”, explicou. O oficial preferiu não detalhar o modelo a ser implantado.

Mudanças no gerenciamento dos Territórios da Paz

Porto também revelou que houve uma mudança na condução do projeto Territórios da Paz. Ele contou que passou ao comandante de cada batalhão onde o modelo está implantado a orientação de definir as ações da polícia. “Antes a coordenação era aqui na Secretaria”, disse. A alteração reduziu os crimes nos Territórios da Paz em 12%, informou.

Fonte:Samuel Vettori / Rádio Guaíba