Batalhão dispensa PMs, e alunos da Academia de Polícia suprem ausência

74
No Centro da Capital, policiais da Acadepol estão nas ruas nesta segunda-feira Foto: Maria Eduarda Fortuna  / Gaúcha
No Centro da Capital, policiais da Acadepol estão nas ruas nesta segunda-feira
Foto: Maria Eduarda Fortuna / Gaúcha

Homens que atuariam no turno da manhã e da tarde foram impedidos de sair do quartel por manifestantes

Após protestos de esposas de brigadianos na Avenida Praia de Belas, na manhã desta segunda-feira (3), o Comando do 9º Batalhão da Polícia Militar da Capital dispensou os policiais. Os 70 homens que atuariam no turno da manhã e tarde foram impedidos de sair do quartel pelos manifestantes.

A dispensa dos policias era exigência da Associação das Esposas de Esposas de Policiais Militares do Estado (Aesppom/RS) para deixar o local. A ausência dos brigadianos está sendo suprida com alunos-capitães da Academia de Polícia Militar.

O Presidente da Associação de Praças da Brigada Militar, Leonel Lucas critica o fato de os alunos estarem nas ruas.

“É um perigo para eles e para a sociedade. Eles estão sem colete, e os que têm estão vencidos. Para dar a sensação de segurança para população, eles criam insegura para o próprio policial. É um cobertor curto”, ressalta.

Já o chefe da Comunicação da Brigada Militar, major Ronie Coimbra, garante que os alunos se formam em novembro e têm condições de atuar no policiamento ostensivo.

“Ninguém vai para rua sem o mínimo de preparo. Eles só estão esperando a formatura, já têm experiência. Além disso, desconheço o fato de os coletes estarem vencidos”, destaca.

Além disso, das 40 viaturas utilizadas todos os dias pelo 9º Batalhão, apenas cinco estão nas ruas – as demais não puderam sair do quartel. Viaturas de outros batalhões estão sendo utilizadas pela corporação.

 

GAÚCHA