Fessergs lamenta proposta do governo para pagar 13° salário do funcionalismo gaúcho

51

greveConforme o presidente da Fessergs, Sérgio Arnoud, categoria terá que ‘correr atrás do seu próprio benefício’

A Federação Sindical dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul recebeu com indignação as propostas apresentadas pelo governo do Estado à Assembleia Legislativa para pagar o 13º salário do funcionalismo gaúcho em 2015. O presidente da entidade, Sérgio Arnoud, destacou que os servidores terão que ‘correr atrás do seu próprio benefício’. Conforme a Fessergs, algumas dúvidas sobre as formas de contração do empréstimo ainda não foram esclarecidas.

“Quem já recebeu uma parte do 13º salário junto ao Banrisul terá este benefício também? Além disso, muitos servidores fizeram a portabilidade bancária. Aqueles que não têm Banrisul terão as mesmas taxas para quitar o empréstimo? Ainda não sabemos”, ponderou Sérgio Arnoud.

Sobre a proposta de pagamento do 13º salário de 2015 em seis parcelas, entre junho e dezembro de 2016, a Fessergs teme que não haja regularidade na quitação do benefício.

“Se os salários já não estão sendo pagos com tanta regularidade, quem garante que no ano que vem o governo pagará o 13º corretamente”, apontou.

Arnoud disse ainda que aguarda a decisão junto à Assembleia Legislativa, prevista para a próxima semana, antes de decidir se haverá algum tipo de ação judicial contra o Executivo. A proposta será apreciada pelo legislativo entre os dias 15 e 17 de dezembro.

Fonte:Eduardo Paganella / Rádio Guaíba