Após presenciar tiroteio, vice-prefeito da Capital sugere que Sartori instale comitê de crise

54

sartori4-1024x682Para Sebastião Melo, ação deve ser gerida pelo próprio governador e não pelo secretário estadual de Segurança

O vice-prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (PMDB), sugeriu nesta quarta-feira que o governador José Ivo Sartori (PMDB) instale e comande um comitê de crise para a área da segurança pública. A sugestão endereçada a Sartori vem à tona um dia após o vice-prefeito presenciar um tiroteio na Zona Sul de Porto Alegre, ao lado do Postão da Cruzeiro.

“Eu me arrisco a dizer… tenho um carinho muito grande pelo Sartori, mas acho que o governador deveria instalar um comitê de crise, que ele comandasse, sobre esse tema (da segurança). Ou seja, não transferir para o secretário (de Segurança Pública, Wantuir Jacini). Chamar os prefeitos, Exército, Força Nacional, Ministério da Justiça, especialistas, e juntos tomarmos decisões”, indicou o gestor municipal.

Apesar de garantir que não se trata de uma crítica ao colega de partido, o vice-prefeito da Capital reforçou o fato de Sartori ser o comandante das forças de segurança do Estado.

“Eu não estou fazendo crítica, estou emitindo uma opinião política. O momento não é de buscar culpados, mas de buscar soluções. Nós nos incluímos na busca pela solução. Agora, as forças policiais do Rio Grande do Sul têm um comandante que é o seu governador”, explicou.

O tiroteio, que vitimou um jovem, ocorreu por volta das 21h, enquanto Melo realizava uma reunião dentro do posto de saúde da Cruzeiro para tratar da violência na região.

“Pelas 21h, a gente ouviu uma rajada muito forte de tiros. Começou uma correria dentro da sala, umas pessoas se atiraram, umas encostaram na parede, outras gritaram. Evidente que todos nós ficamos muito assustados. E logo em seguida veio a informação de que tinham metralhado uma pessoa bem ao lado da sala onde estávamos, um jovem de vinte e poucos anos”, relatou Melo. Segundo apuração do jornal Correio do Povo, o jovem assassinado se tratava de Norberto Soares Vieira, de 26 anos.

Na última segunda-feira, a unidade de saúde amanheceu fechada devido à insegurança dos funcionários. O fechamento do Posto tem sido recorrente nos últimos meses, sempre relacionado à violência.

Além da cobrança de uma atitude mais enérgica pelo governador, Melo também defendeu o endurecimento da legislação penal e melhorias no sistema penitenciário. “O comando do crime em Porto Alegre pouco está nas vilas, mas sim nos presídios”, resumiu.

Quanto à Brigada Militar, Melo disse que o problema de déficit de servidores é histórico, afastando a responsabilidade do atual governador.

Fonte:Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba