Sartori diz que vai vetar reajuste salarial de servidores de demais poderes

219

SartoriAssembleia aprovou ontem reposição de 8,13% para o Judiciário e o Legislativo

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, afirmou nesta quarta-feira, durante um evento para primeiras-damas na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre, que irá vetar a recomposição salarial de servidores do Judiciário e do Legislativo. Sartori já havia externado esta posição e acredita que o reajuste é contra o trabalho que vem realizando à frente do Estado.

Segundo informações do repórter da Rádio Guaíba Gabriel Jacobsen, Sartori foi questionado por uma servidora sobre a votação de ontem. Ela quis saber do governador se existia a possibilidade de um veto à votação. Ele respondeu: “É igual para todos”, indicando que irá barrar a decisão.

Na noite dessa terça, os deputados aprovaram recomposição salarial de 8,13% aos servidores. Os textos dos aumentos de Judiciário e Defensoria Pública, primeiros a serem votados, tiveram 35 votos favoráveis e 14 contrários.

Os parlamentares também aprovaram, mais cedo, uma emenda do deputado Eduardo Loureiro (PDT) para que o reajuste retroaja a janeiro de 2016, e não a julho do ano passado, como queriam os servidores. O impacto financeiro das medidas, somadas todas as folhas salariais, deverá superar 120 milhões ao ano.

Tumulto

Após a votação do segundo projeto, referente à Defensoria, houve tumulto em plenário. O deputado Marcel Van Hattem (PP) ironizou as falas de deputados favoráveis aos reajustes. Pedro Ruas (PSol) e Regina Becker (Rede) reagiram e Álvaro Boessio intercedeu, em favor do progressista, o que gerou empurra-empurra e levou a presidente da Casa, Silvana Covatti (PP), a suspender a sessão por alguns minutos, até os ânimos se acalmarem.

Veja como votaram os deputados em reajustes do Judiciário, Legislativo e outros órgãos

Impacto financeiro estimado das aprovações é de quase R$ 195 milhões

Veja abaixo quais deputados estaduais gaúchos foram favoráveis e quais foram contrários aos reajustes salariais de 8,13% aos servidores do Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Contas (TCE) e Legislativo. Foram 35 votos a 14 para os quatro primeiros grupos, sendo a exceção o reajuste para os servidores da Assembleia, que teve placar de 34 a 14*.

Os percentuais são referentes à inflação do período 2014/2015. O texto aprovado prevê retroatividade até janeiro deste ano, e não até junho de 2015 como proposto inicialmente pelos poderes e órgãos interessados.

O impacto financeiro estimado das aprovações é de quase R$ 195 milhões (sendo o do Judiciário o mais oneroso:  R$ 118 milhões).

Tabela de votação de reajuste dos servidores do Judiciário:

Partido Parlamentar Voto
PSC Missionário Volnei Sim
PT Adão Villaverde Sim
PT Edegar Pretto Sim
PT Jeferson Fernandes Sim
PT Luiz Fernando Mainardi Sim
PT Miriam Marroni Sim
PT Nelsinho Metalúrgico Sim
PT Stela Farias Sim
PT Tarcisio Zimmermann Sim
PT Valdeci Oliveira Sim
PT Zé Nunes Sim
PMDB Alexandre Postal Não
PMDB Álvaro Boessio Sim
PMDB Gabriel Souza Não
PMDB Gilberto Capoani Sim
PMDB Ibsen Pinheiro Não
PMDB Tiago Simon Não
PMDB Vilmar Zanchin Não
PP Adolfo Brito Sim
PP Frederico Antunes Sim
PP Gerson Borba Sim
PP João Fischer Sim
PP Marcel van Hattem Não
PP Sérgio Turra Não
PDT Ciro Simoni Sim
PDT Eduardo Loureiro Sim
PDT Enio Bacci Sim
PDT Gilmar Sossella Sim
PDT Juliana Brizola Sim
PDT Marlon Santos Sim
PTB Aloísio Classmann Sim
PTB Marcelo Moraes Sim
PTB Maurício Dziedricki Sim
PTB Ronaldo Santini Sim
PSDB Adilson Troca Sim
PSDB Jorge Pozzobom Sim
PSDB Pedro Pereira Não
PSDB Zilá Breitenbach Não
PSB Catarina Paladini Não
PSB Elton Weber Não
PSB Liziane Bayer Não
PPS Any Ortiz Não
PCdoB Juliano Roso Sim
PCdoB Manuela d`Ávila Sim
PRB Sérgio Peres Sim
PV João Reinelli Não
PSOL Pedro Ruas Sim
PPL Bombeiro Bianchini Sim
REDE Regina Becker Fortunati Sim
*Na votação para reajuste dos servidores da Assembleia, o deputado Sérgio Peres (PRB) votou contra e a deputada Liziane Bayer (PSB) esteve ausente.
Fonte:Radio Guaíba e Correio do Povo