Audiência judicial é cancelada após facção impedir detento de deixar o Presídio Central

1483

Caso ocorreu na manhã desta terça-feira, em Porto Alegre

Despacho da juíza cita que preso não foi deslocado pela Susepe.

Foto: Reprodução

Arílson Luiz de Oliveira é réu pelo crime de tentativa de homicídio

Um suposto levante protagonizado pela facção criminosa Bala na Cara, dentro do Presídio Central, pode ter impedido o apenado Arílson Luiz de Oliveira, integrante do bando, de deixar a cadeia, nessa manhã, para participar de uma audiência em um processo no qual é réu pelo crime de tentativa de homicídio, no Tribunal de Justiça. Segundo a assessoria de imprensa da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), os agentes chegaram até o Central para conduzir o detento até a audiência, mas não conseguiram – o que acabou forçando o Judiciário a remarcar a audiência.

Os agentes oficiaram o fato à 1ª Vara do Júri do Foro Central, em Porto Alegre, que transferiu o julgamento para as 9h30min de 16 de setembro. Em ata, a juíza presidente da 1ª  Vara, Taís Culau de Barros, sustenta que “o réu, embora devidamente intimado, não foi conduzido pela SUSEPE no dia de hoje, sob a alegação de que os apenados da facção “balas na cara” teriam se recusado a sair da galeria. Dessa forma, estando o réu preso e não tendo sido conduzido, impossibilitada a realização desta sessão plenária”.

Fonte:Rádio Guaíba