Entidades da Segurança Pública participam  de protesto contra o parcelamento do salário e a falta de providências para conter a morte de brigadianos. O movimento aconteceu na manhã de 1 de novembro, na frente do Palácio Piratini.

A primeira parcela do salário de outubro foi depositado no dia 31. Vergonhosos R$ 450,00, sem que o governo mostre qualquer ação para acabar com o tormento dos servidores. Até agora, o pagamento aos servidores totaliza R$ 780,00. Menos que um salário mínimo. Como se não bastasse, o governo cogita não respeitar o pagamento de reajustes já aprovados, que garante índice de reposição em novembro. As entidades irão começar movimento paradista, a fim de garantir os direitos conquistados.

A falta de efetivo e investimento em armamento mais moderno também deixa a categoria revoltada. Foi realizando policiamento em dois municípios que o sargento João Marcelo Borges Desidério, de 43 anos, morreu enfrentando assaltantes em Erval Grande.

 Nossos Servidores chegaram ao seu limite,  a responsabilidade por qualquer ato mais incisivo que vier daqui para frente, é culpa da omissão do Governo do Estado e do Judiciário que não faz com que se cumpra determinações judiciais.

1

2-1

3

 

Deixe um comentário