Operação Tiradentes vai reforçar em até 40% o efetivo nas cidades gaúchas e celebra o Dia Nacional das Polícias

O Largo Glênio Peres, um dos pontos mais movimentados da Capital, foi o local escolhido pela Brigada Militar (BM) para o lançamento da Operação Tiradentes, que iniciou às 14h dessa quinta-feira (20). Até as 10h do próximo sábado (22), o efetivo será reforçado em até 40% no Estado, a partir da suspensão de folgas e do uso de servidores em treinamento e que fazem trabalhos administrativos. O ato vai ocorrer em todo o país para celebrar o Dia Nacional das Polícias, comemorado nesta sexta (21).

“Será repressão qualificada. No Estado, vamos focar nos crimes de latrocínio, homicídio e roubos a pedestres, veículos, transporte coletivo e estabelecimentos comerciais e bancários”, relata o comandante da BM, coronel Andreis Dal’Lago.

Ele explica que um dos motes da ação é dar visibilidade ao trabalho da polícia, destacando a sensação de segurança. De acordo com ele, as folgas previstas para as 44 horas até o final da Operação foram suspensas para que os policiais estejam nas ruas. Ao todo, cerca de 10 mil agentes irão atuar no policiamento ostensivo. Serão utilizadas 4,3 mil viaturas

Apesar de reconhecer que faltam agentes no efetivo, Dal’Lago afirma que, após a Operação Tiradentes, a Capital e a Região Metropolitana irão continuar com maior presença policiais nas ruas, a exemplo das últimas semanas com reforço de policiais do interior, a partir da Operação Avante.

Novos agentes

Presente à cerimônia, o secretário estadual da Segurança Pública comentou a possibilidade de ampliação do efetivo da BM. Cezar Schirmer relata que vai se encontrar com José Ivo Sartori na próxima semana para discutir os termos de um novo concurso público para a corporação. No início de abril, o governador havia condicionado a abertura de um edital à aprovação de projetos na Assembleia que ampliam o tempo de serviço dos militares.

“Não foi necessariamente uma condição do governador e sim um apelo para que a Assembleia cumpra o seu relevante papel”, minimizou Schirmer.

A partir de junho, 1.060 policiais militares irão concluir a formação e poderão atuar nas ruas. Outros 421 foram convocados pelo Piratini. Ainda assim, o número é equivalente às aposentadorias no último ano.

Presídios

Quanto ao plano B para a instalação do presídio federal no Estado, após a recusa do Ministério da Justiça de uma área oferecida em Charqueadas, está na própria cidade. Outro local será oferecido, embora outras cidades não estejam descartadas. A expectativa é que, nas próximas semanas, os municípios que receberão duas penitenciárias estaduais também sejam divulgados. Nos bastidores, conversas chegaram a ser realizadas com as prefeituras de Osório, São Leopoldo e Guaíba, mas as negociações não prosperaram.

GAÚCHA

Deixe um comentário