Projetos que tramitam na ALERGS ainda preocupam a ASSTBM

12

Mesmo em estado de letargia, os Projetos de Lei e Propostas de Emendas na Constituição do Estado que alteram o Estatuto da Brigada Militar e que trazem prejuízos irreparáveis aos policiais militares continuam preocupando a direção da ASSTBM. Embora tenha sido retirado o pedido de urgência para a votação, não existem garantias que eles não sejam remetidos a qualquer tempo para o plenário. O objetivo da retirada da urgência seria para que os projetos fossem discutidos com as Entidades de classe, mas até o momento a única garantia que se tem é que isso dá prazo para que o governo faça negociações e consiga nas bancadas os votos necessários para a aprovação dos projetos nefastos. Baseado nessas deduções APARÍCIO SANTELLANO (presidente estadual da ASSTBM) e Antônio Solis Paim (vice-presidente da ABAMF) se reuniram com o Comando Geral da Brigada Militar para externar as preocupações e solicitar apoio no combate as pretensões do governo e também ajudar na manutenção dos reajustes já concedidos, haja vista que os projetos atingem toda a corporação. Ao finalizar a conversação o Comandante Geral, Coronel Andreis Dal Lago noticiou aos representantes que nos próximos dias chamará as Entidades para que entreguem as sugestões colhidas para uma possível alteração na carreira dos policiais militares. Participaram do encontro o Subcomandante Geral Cel QOEM Mário Yukio IKEDA, o Ch EMBM Cel QOEM Júlio César ROCHA Lopes, o Cel QOEM Jefferson de Barros Jacques Cmt do CPC, Ten Cel QOEM Marcus Vinicius Ch de Gabinete do Comando Geral além de Ricardo Agra e Dagoberto Valteman, ambos diretores da ASSTBM Sede Central.  Ao término da reunião com o Comando geral, ato contínuo os representantes se dirigiram para a Secretaria de Segurança Pública onde se reuniram com o Secretário Adjunto Tenente Coronel Éverton Oltramari e posterior com o Secretário Cezar Augusto Schirmer, aos quais explanaram a sua temerosidade quanto aos projetos e também solicitaram apoio junto ao governo na continuidade do pagamento dos reajustes já concedidos.