Livramento: ASSTBM e ABAMF fazem esclarecimento a população

12

ASSTBM e ABAMFº em programa de Radio esclarecem

O programa Correspondente Cultura, apresentado na Rádio Cultura AM pelo Radialista Dagberto Cezarino dos Reis, na manhã de 29 de Agosto, foi o porta voz do grito de alerta da ASSTBM e ABAMFº, Regionais de Sant`Ana do Livramento, representadas por seus respectivos Presidentes André Luis Fernandes Pereira e Jansen Nogueira Charopem, que concederam esclarecedora entrevista, informando a opinião publica sobre a real situação dos servidores da Brigada Militar, ativos e inativos, que constantemente vem sofrendo ataques do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e base aliada, através de parcelamento de salários, supressão de direitos e de uma campanha criminosa que transfere aos funcionários públicos vinculados ao Executivo, a responsabilidade pelas más gestões de Políticos e Partidos, que a décadas se alternam no poder.

Por que os aposentados são maioria

Os dirigentes das Associações, fazendo contraponto ao que é veiculado na imprensa pelo Governo Estadual e seus aliados, que repetidamente usam os meios de comunicação para dizer que existem mais Servidores Militares Estaduais (Brigadianos) aposentados do que em atividade, esclareceram que esta é uma afirmação irresponsável, principalmente do Governador Jose Ivo Sartori que, manipulando a opinião publica, omite a verdade de que o efetivo previsto para a Brigada Militar é de 37.050 servidores e que, hoje, apenas 17.000 fazem parte do quadro que atua no Policiamento Ostensivo e, a inconseqüente falta de efetivo, coloca em risco a vida desses Policiais e da própria população. Desta forma, a inércia e os erros de gerenciamento dos Politicos, que não preencheram as vagas deixadas por quem se aposentou nos últimos 20 anos, servem de argumento para disseminar fatos inverídicos.

O engodo do parcelamento e atraso salarial

Durante a entrevista, num clima de indignação, transmitiram a incerteza que toma conta de todo funcionalismo a cada final de mês quando o governo anuncia parcelamento e ameaça com encontro de folhas. Durante os 22 meses de atraso e parcelamento de salários, o próprio Estado, através do Banrisul, vem lucrando com cobranças de taxas para que os funcionários possam receber seus proventos de forma integral, numa manobra imoral.

Associações e comando

Os dirigentes escolheram como único argumento a verdade sem comprometimento e, com franqueza, falaram da real situação da Segurança Publica no Estado, que não tem projetos e não investe nessa área. Que o Comando da Brigada Militar fala a linguagem e reza na cartilha do Governador, omitindo dados preocupantes como abalo psicológico que sofre o Brigadiano empregado no Policiamento em conseqüência da falta de efetivo e com a estrutura inadequada para combater a violência e criminalidade

Sugestão de economia

Os dirigentes, ao externar o sentimento da classe e também do funcionalismo vinculado ao Executivo, não aceitam a irresponsabilidade com que o Governo vem apontando os servidores como causadores do suposto caos financeiro do Estado, pois durante todo o tempo cumprem suas obrigações e o respectivo recolhimento de encargos e que, se o Governo quer economizar, que comece pela extinção do Tribunal de justiça Militar.

Crise plantada

Em relação à ameaça do encontro de folhas, há unanimidade em não aceitar em hipótese alguma, que a classe não se sujeitará a este tipo de proposta por entender que o Estado prioriza tão somente o mau trato aos servidores públicos, que a crise foi plantada para precarizar serviços e assim ter argumentos para vender tudo o que pertence ao Estado, que os outros dois poderes, Legislativo e Judiciário não foram afetados em nenhum momento. Complementaram dizendo que os Servidores foram abandonados, inclusive pela justiça, que não se manifesta em relação as liminares ganhas e que o poder judiciário não evidencia meios para que sejam cumpridas. Que se é constitucional o duodécimo para o Legislativo e Judiciário, também é constitucional os servidores receberem os seus salários em dia e de forma integral.

Atentado contra a população

Com o atual modelo de gestão empregado pelo Governo Estadual, avalizado pelos Deputados da Base aliada, que não investe em Segurança Publica e assiste complacentemente o aumento da violência e criminalidade e apresenta como único projeto a criminalização e desvalorização do funcionalismo, como se isso fosse solução, com famílias sendo dizimadas, quem perde e está sendo penalizado é o Povo Gaucho.

Ato dia 1º de Setembro

As Associações, ABAMFº e ASSTBM, convocam todos os Servidores, ativos e inativos, a participarem no dia 1º de Setembro, a partir das 09:00hs, do ATO EM DEFESA DO POVO GAUCHO E DA VIDA DOS POLICIAIS MILITARES. A mobilização iniciará as 09:00hs em frente a sede Central do Clube dos Sargentos, localizado na Av Daltro Filho nº 1352, tendo continuidade na Esquina Democrática, Av Tamandaré com Rua Andradas.