RBS TV: Governador do RS promete o envio de PMs para o interior e anuncia novo critério: ‘Vão para quem participa’

14

José Ivo Sartori participou de evento com empresários gaúchos na tarde desta quarta-feira (14). Além de Segurança Pública, o governador falou sobre a possibilidade de pagar em dia os salários dos servidores públicos estaduais e defendeu a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal.

G1RS

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, participou de um evento na tarde desta quarta-feira (14), em Porto Alegre, com a participação de empresários. Na ocasião, o chefe do Executivo estadual foi questionado sobre Segurança Pública.

Sartori prometeu enviar novos policiais militares aos municípios do interior, mas anunciou um novo critério. Segundo ele, terão prioridade as cidades que trabalharam de forma integrada com o estado nos últimos anos, como, por exemplo, firmando parceria entre Guarda Municipal e Brigada Militar.

“Quem colaborou nos municípios, os novos soldados que vão se formar na Brigada Militar, não vão mais para onde tem um lugarzinho, vão para quem participa, quem colabora, e quem é solidário. Caso contrário, será de outra maneira”, afirmou.

O governador também sinalizou a possibilidade de pagar em dia os salários dos servidores públicos estaduais ainda neste ano. Ele relatou que o aumento da alíquota do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) impediu atrasos maiores nos salários.

“Não fosse isso, com certeza teria, sim, atrasado os salários, em torno de dois ou até três meses de salários que não teriam sido pagos, e iria afetar comércio, ia afetar todo mundo”, salientou.

Sartori defendeu, ainda, a adesão do estado ao Regime de Recuperação Fiscal, o que vai permitir suspender o pagamento da dívida com a União por três anos. Ele garantiu que a medida possibilitaria manter no caixa do tesouro gaúcho R$ 11 bilhões.

Os empresários quiseram saber se a medida será suficiente para pôr os salários do funcionalismo em dia. “Na verdade, eu acho que vai criar condições para normalizar, aos poucos, a questão da folha de pagamento”, disse.

À espera de parecer do TCE-RS

Para aderir ao plano de recuperação fiscal, técnicos do Tesouro Nacional ainda aguardam um parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS). O objetivo é tentar resolver o impasse envolvendo as despesas do governo gaúcho.

Isso foi firmado em uma reunião entre técnicos do estado e do Tesouro Nacional, que durou mais de cinco horas nesta quarta, na sede do Ministério da Fazenda, em Brasília.

O estado quer assinar logo o acordo, para suspender por três anos o pagamento das parcelas da dívida com o governo federal. Contudo, para isso, precisa convencer a União que gasta mais de 70% da receita com o pagamento da dívida e com a folha de pessoal.

Os técnicos disseram que podem aceitar o cálculo feito pelo Rio Grande do Sul, desde que tenha um parecer do TCE-RS, reconhecendo que o valor das aposentadorias e pensões, por exemplo, também entra no cálculo. A meta do estado é assinar o acordo até o mês de maio.