Ministério Público em mais uma ação descabida demostra desconhecimento da atividade policial, colocando em risco a segurança da população

4116

O Ministério Público Gaúcho, totalmente desconectado e sem conhecimento da complexidade da carreira policial militar, ajuizou uma ação civil pública exigindo que o edital do CSPM( Curso Superior de Polícia Militar) seja reservado 10% de vagas para pessoas com deficiência. O MP não se contenta em fiscalizar o cumprimento da lei, quer também “legislar”.

Não somos contra a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, mas esta ação do MP é descabida e desconectada da realidade da atividade policial. A promotoria de Justiça do Patrimônio Público de POA, de dentro de seus prédios “palacianos”,  com os maiores salários do estado e rigorosamente em dia, desconhece a realidade da atividade policial,  tal medida devido a complexidade da atividade, além de colocar em risco a vida do servidor, de seus colegas, pode comprometer a segurança da própria população.

 

CONFIRA A NOTÍCIA NO SITE DO MP https://www.mprs.mp.br/noticias/48204/