‘Foi Deus quem nos colocou naquela rua’, diz sargento que evitou estupro de jovem em Passo Fundo

3634

Servidor estava de férias e flagrou o crime no momento em que levava a esposa para o trabalho. Ele perseguiu e prendeu o criminoso

Por Vinicius Coimbra Diário da Manhã Passo Fundo

Tadeu Moraes Trindade levava a esposa para o trabalho no início da manhã desta quarta-feira (10).

Ele transitava de carro pela região da Vila Rodrigues, em Passo Fundo. Estava também com o filho.

Às 6h45 viu um indivíduo que tentava tirar a roupa de uma adolescente, de 15 anos, na rua Senador Pinheiro.

O sargento que atua no Pelotão de Operações Especiais (POE) do 3º RPMon parou o carro e decidiu agir.

Ele tentou a abordagem do suspeito. “Me identifiquei como policial e dei voz de prisão porque eu estava à paisana e de férias”, lembrou.

O indivíduo, entretanto, fugiu em direção a uma escola nas proximidades e o sargento passou a persegui-lo.

Três quadras depois, o bandido entrou em um terreno baldio e reagiu à prisão, mas foi detido pelo servidor.

O sargento levou o homem até o Colégio Tiradentes, nas proximidades, onde esperou reforço policial para o encaminhamento à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).

O indivíduo, de 25 anos, não tinha passagem pela polícia. Ele disse que havia saído do trabalho à noite e negou o abuso da jovem.

A versão, entretanto, não impediu que ele fosse indiciado pelo crime de tentativa de estupro e fosse recolhido ao sistema prisional.

O sargento, que havia tirado 30 dias de férias, disse que ficou com dois sentimentos sobre o episódio. “Fico feliz por estar próximo, mas triste pelo fato que aconteceu. Fico imaginando o trauma na cabeça de uma adolescente, por ter passado por isso ou por coisa mais grave que poderia ter acontecido”, pontuou.

Trindade afirmou que nunca havia passado por um episódio parecido nos 28 anos de Brigada Militar. “Foi Deus que nos colocou naquela rua naquele momento. Se a gente tivesse atrasado cinco minutos, não sabemos o que poderia ter acontecido”, disse.

A vítima não teve lesões. Conforme a BM, a adolescente de 15 anos foi deixada pelo pai na Avenida Presidente Vargas, de onde seguia para a escola no momento em que ocorreu o crime.