Governo inclui policiais, bombeiros e militares na vacinação contra a gripe

444

Ministério da Saúde encomendou mais um milhão de doses para ampliar o grupo dos beneficiados pela vacinaLeo Laps / Especial

Participação do grupo, que comporta 900 mil pessoas, foi anunciada na manhã desta segunda-feira (22) pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

GAUCHAZH

O governo federal incluiu um público extra na nova etapa de vacinação contra a gripe, que começou nesta segunda-feira em todo o país.

Além dos grupos já previstos, também poderão comparecer aos postos de saúde para se imunizar os profissionais das forças de segurança e salvamento. São cerca de 900 mil pessoas, como policiais, bombeiros e integrantes das Forças Armadas. No Rio Grande do Sul, o contingente extra é de 61,2 mil profissionais.

O anúncio da ampliação do público-alvo foi feito na manhã desta segunda-feira pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a abertura da 17ª Semana de Vacinação nas Américas, em Cuiabá (MT). Segundo o ministério, os profissionais de segurança serão beneficiados porque “são expostos em atividades de risco em locais de aglomerações, um dos principais fatores de propagação do vírus da influenza”. 

O governo anunciou que está adquirindo mais um milhão de doses da vacina, além das que estavam previstas, para dar conta do aumento de atendidos. As doses serão repassadas aos Estados e estarão disponíveis em 41,8 mil postos.

A segunda etapa da campanha de vacinação vai até o dia 31 de maio, abrangendo grupos prioritários. Estão incluídos crianças, gestantes, trabalhadores de saúde, povos indígenas, puérperas (mulheres até 45 anos após o parto), idosos (a partir dos 60 anos), professores, portadores de doenças crônicas e apenados ou funcionários do sistema prisional. No total, são quase 60 milhões de pessoas. A meta é chegar a 90% de imunização em cada grupo.

Na primeira fase da campanha, de 10 a 18 de abril, foram vacinados apenas crianças (12,5% do total) e gestantes (17,4%).

A VACINAÇÃO NO RS

O Estado tem 3,8 milhões de pessoas elegíveis, que podem comparecer a todos os postos para receber a dose. Segundo dados do Ministério da Saúde, o envio ao Rio Grande do Sul foi de 4.136.500 de vacinas, sem contar o reforço para os profissionais de segurança. Confira quem pode se vacinar no Estado:

Crianças (maiores de 6 meses e menores de 6 anos): 735 mil
Gestantes: 106 mil
Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto): 17 mil
Trabalhadores da área da saúde: 316 mil
Povos indígenas: 25 mil
Pessoas acima dos 60 anos: 1,47 milhão 
Professores: 110 mil
Sistema prisional (funcionários e apenados): 42 mil
Pessoas com comorbidades*: 970 mil
Forças de segurança: 61,2 mil

* Doenças crônicas respiratórias, cardíacas, renais, neurológicas ou hepática; diabetes; imunossupressão; obesidade; transplantados ou pessoas com trissomias