ASSTBM participa do Fórum Nacional das Entidades Representativas de Policiais Militares e Bombeiros Militares em Vitória-ES

348

Asstbm representada pelo Vice- Presidente Ten. Daltro Quadros participa do no XVIII Forum Nacional das Entidades Representativas de Policiais Militares e Bombeiros Militares, evento o qual foi deliberado pela apresentação ao presidente da República de um documento denominado “Carta de Vitória” onde em síntese as entidades se manifestam contra o aumento de tempo de serviço e propõe a constitucionalização da paridade e integralidade. O governador do Espirito Santo, Renato Casagrande e a vice governadora, Jaqueline Moraes, participaram do evento, bem como a cúpula da polícia militar e bombeiros militares.

Governador do Espirito Santo, Renato Casagrande

A lei de Abuso de Autoridade, entre outros temas ligados à ação política, está na pauta, de forma indireta, do XVIII Fórum , apesar de o objetivo principal ser reivindicatório visando a valorização dos profissionais de segurança pública, a questão do uso de algemas por policiais no momento de uma prisão, contida no projeto da lei de Abuso de Autoridade, aprovado na Câmara dos Deputados nesta semana e motivo de polêmica generalizada, deve ser um dos assuntos em debate.

‘Fizemos campanha de graça e o presidente não está reconhecendo a nossa importância’, diz Associação Nacional de Militares

A declaração do presidente da ANERMB foi dada durante abertura do Fórum Nacional da categoria, realizado em Vitória, ao citar a reforma da Previdência

O presidente da Associação Nacional de Entidades Representativas de Policiais Militares e Bombeiros Militares (ANERMB), sargento Leonel Lucas Lima, criticou o posicionamento do presidente da República, Jair Bolsonaro, quanto à inclusão da categoria na reforma da Previdência. Segundo ele, os militares buscam um tratamento igual ao que é dado às Forças Armadas.

A declaração do presidente da ANERMB foi dada durante a abertura do Fórum Nacional da categoria, realizado em Vitória. Segundo ele, o fórum vai debater, além dos projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional que envolvem a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar, as questões relacionadas à questão psicológica e a inclusão da categoria na reforma da Previdência.

“Vamos falar sobre Previdência, que é muito importante, já que todos nós fizemos campanha de graça para o presidente [Jair Bolsonaro] e hoje ele não está reconhecendo a importância dos policiais e bombeiros militares”, declarou o sargento.

Ele também afirmou que a categoria busca, junto à Câmara e ao Senado, o mesmo tratamento que é dado para as Forças Armadas e que o presidente Bolsonaro possa reconhecer a valorização dos militares. “A mesma simetria que foi dada para as Forças Armadas, nós queremos para os policiais e bombeiros militares. Temos uma guerra urbana muito grande no Brasil e quem está à frente disso tudo é o policial militar e o bombeiro militar. São eles que estão no dia-a-dia defendendo uma sociedade que desconhecem quem é”, disse.