Viaturas da Brigada lotam pátio do Instituto Psiquiátrico Forense

287

A transferência de dez presos na noite dessa terça-feira pela Susepe foi insuficiente

Policiais militares custodiando presos no IPF | Foto: Alina Souza

Por Correio do Povo

O problema da manutenção de presos aguardando vagas em presídios na manhã desta quarta-feira segue no pavilhão do pátio do Instituto Psiquiátrico Forense (IPF), na rua Salvador França, no bairro Partenon, em Porto Alegre. Na manhã desta quarta, viaturas da Brigada Militar estavam sendo usadas para custear detidos em flagrante em Porto Alegre e Região Metropolitana. 

transferência de dez presos na noite dessa terça-feira pela Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) foi insuficiente. Ao invés de atuarem nas ruas, os policiais militares permaneciam parados realizando a custódia. Além disso, os presos têm reclamado das péssimas condições de permanência.

Conforme a Associação dos Sargentos Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar, a situação é preocupante. “Os espaços estão lotados novamente. Se está ruim para os presos, para os policiais não está nada bem. Muitos detentos ficam dias sem banho devido a falta de chuveiros. Só há banheiros químicos disponíveis, além disso muitos chegam doentes”, ressalta o secretário-geral, sargento Ricardo Agra.

Recentemente, um brigadiano adquiriu conjuntivite no pátio do Instituto Psiquiátrico Forense. A Susepe, porém, descartou a existência de algum surto. Os detidos em viaturas foram levados para a área na segunda quinzena de julho deste ano após ficarem meses nas ruas no entorno do Palácio da Polícia, inclusive na avenida Ipiranga.

A reportagem entrou em contato com a Susepe e aguarda retorno. A matéria será atualizada com a posição do órgão.