Livramento – A voz da segurança no Poder Legislativo

107

Na manhã de terça-feira, 29 de Outubro, os Presidentes da ASSTBM e ABAMFº, regionais Livramento, fizeram uso da tribuna Popular na Câmara de Vereadores, oportunidade em que agradeceram a moção de repúdio ao projeto do Governador Eduardo Leite, assinada por unanimidade pelos vereadores, uma iniciativa do vereador Marco Monteiro que propôs a matéria.

Pontual e objetivo

O Presidente da regional ASSTBM Livramento, numa pontual e objetiva dissertação, de forma eloquentemente, fez com que todos os presentes o ouvissem atentamente quando enfatizou que o governo do Estado está de forma equivocada colocando o servidor público como o algoz da situação financeira do Rio Grande do Sul, e, manifestando-se em nome da classe Brigadiana, expressou veemente repudio pela atitude inconsequente do governo.

Pacotaço de maldades

Destacou que é de conhecimento de todos, que os causadores do déficit fiscal do estado foram e são os péssimos administradores que estiveram a frente da administração publica estadual nestes últimos 40 anos. Que, com o denominado “pacotaço de maldades”, as consequências serão diretamente sentidas pela sociedade como um todo, pois acarretará em diminuição de efetivo e, aqueles Policiais que estão aptos a se aposentar, assim o farão.

Números reais e verdadeiros

Discorrendo sobre a forma maldosa e mal intencionada que o governo do estado diz que na Brigada Militar existem mais servidores inativos do que ativos, esclareceu que a atual situação foi provocada pelas inconsequentes e más administrações que não repuseram os servidores que se aposentavam. Contrapôs, dizendo aos senhores vereadores que a Brigada Militar, por lei, teria que ter 37.050 servidores, sendo que nos anos de 1982 o efetivo era composto por 20.200 para atender uma população em torno de 6.500.000 habitantes e, hoje, este efetivo decresceu para o patamar de 15.800 servidores para atender uma população de 11.000.000 de habitantes, situação clara de que os governos pouco se importam com a segurança dos gaúchos.

Mensagem e sugestão

De forma taxativa, deixaram mensagem direcionada ao governo do estado que a categoria não aceita a retirada de qualquer direito, principalmente aquele que vier a diminuir o valor do salário, sendo que esta seria a ultima alternativa, mas, sem antes, desencadear uma ação forte de combate a sonegação e uma revisão nas isenções fiscais.

Solicitação

Finalizando, ambos os Presidentes solicitaram aos Srs vereadores que seja efetuado contato com os deputados estaduais, que receberam apoio na cidade de Santana do Livramento, para que não aprovem este pacote de maldades, o qual atinge diretamente os servidores e consequentemente a população gaúcha.

Dpto de Comunicação ASSTBM/Livramento