Policial morta por criminosos tinha sete anos de Brigada Militar e era filha de sargento

2044

Soldado Marciele Renata dos Santos Alves morreu após ser atropelada nesta segunda-feira

Marciele Renata dos Santos Alves completaria sete anos na BMDivulgação / Brigada Militar

GAÚCHAZH

operação que resultou na morte de uma policial militar nesta segunda-feira (25) comoveu colegas da soldado Marciele Renata dos Santos Alves, 28 anos. Em entrevista à rádio Gaúcha, o comandante Regional do Vale do Taquari, Coronel Reis, falou sobre o homicídio da agente, que foi atropelada enquanto abordava criminosos que roubaram um carro.

— É uma situação absolutamente lamentável, um momento muito triste. Quando você sai para uma ocorrência, só sabe o início dela, o final a gente unca sabe. É uma atividade de alto risco. A gente lamenta muito uma policial jovem ter que pagar com a vida — disse o coronel.

Natural de Cachoeira do Sul, a jovem havia ingressado na polícia em 2012 e era filha de um sargento da região. Ultimamente, ela servia na cidade de Santa Cruz do Sul.

Conforme o comandante, uma quadrilha roubou uma Hilux em Venâncio Aires, por volta das 12h desta segunda. O grupo era observado pela polícia e foi localizado pelas autoridades perto da cidade de Sério, onde um cerco foi feito.

Na ação, a policial foi atropelada pela quadrilha e não resistiu aos ferimentos. Dois assaltantes foram mortos no local. Um ficou ferido e foi preso, segundo o coronel. A ocorrência está em andamento, e a BM tenta capturar demais criminosos no cerco.