Governo do RS apresenta nova proposta de subsídios para militares e servidores do IGP

3664

Medida atende a pedidos de aliados e visa garantir apoio ao texto que será analisado pela Assembleia em sessão extraordinária

O governo do Estado definiu, na terça-feira (21), a nova proposta de subsídios para os integrantes da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros no âmbito do pacote do funcionalismo. A mudança, que ainda está sendo apresentada a aliados e representações sindicais, deve ser encaminhada para votação em sessões extraordinárias da Assembleia Legislativa na próxima semana.

O novo projeto, na comparação com o anterior, tem aumento nos subsídios de soldados, cabos, sargentos e tenentes. O soldado nível I, por exemplo, na nova proposta, teria subsídio de R$ 6.700,59 — enquanto o projeto anterior previa R$ 6.201,51.

Por outro lado, o governo reduziu a previsão de subsídio de capitão, que era considerado por aliados distante demais da carreira de tenente. O novo valor previsto é de R$ 19.515,00 — frente aos R$ 20.353,06 inicialmente oferecidos.

— Estamos fazendo um aumento na tabela da primeira proposta. Aumentamos um pouco, dentro daquilo que é possível do ponto de vista financeiro do Estado — ponderou o vice-governador, Ranolfo Vieira Jr, sem detalhar os novos valores de subsídio.

A melhoria na tabela de subsídios dos militares também tem como objetivo reduzir as resistências às mudanças desejadas pelo Piratini nas alíquotas previdenciárias desses servidores.

Na tarde desta quarta-feira (22), o governo baterá o martelo sobre a versão final dos projetos que serão enviados na requisição do governador Eduardo Leite à Assembleia para votação em sessão extraordinária, na próxima semana.

O governo também ajustou o projeto que estipula subsídios para os integrantes do Instituto Geral de Perícias (IGP), ampliando os valores de entrada e finais das carreiras. A nova proposta prevê subsídio inicial de R$ 15.491,73 para perito criminal de primeira classe (frente aos R$ 14.754,03). 

Ao perito médico-legista de classe especial, para quem está previsto o salário mais alto, tem subsídio de R$ 19.364,66 (o projeto anterior previa 18.442,54).

Confira as comparações entre as propostas

A