Brigada Militar inicia curso para formação de 879 soldados com mudanças em meio à pandemia

699
Turmas foram reduzidas, alunos fizeram teste para coronavírus e parte das atividades será a distância

O curso para formação de 879 soldados da Brigada Militar teve início na segunda-feira (8), com uma série de mudanças devido à pandemia de coronavírus. Segundo a corporação, todos os alunos foram testados para covid-19 antes do início das aulas – os resultados deram negativo. 

Os policiais em formação foram distribuídos em 45 turmas nas sedes de ensino de Montenegro, Porto Alegre, Osório, Santa Rosa, Passo Fundo, Santa Maria e Rio Pardo. Para evitar aglomeração, as salas tiveram número de alunos reduzido.

Além disso, de acordo com a BM, parte das aulas teóricas são feitas a distância, pela internet. Uma delas foi feita pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), que transmitiu simultaneamente para os alunos. Já as lições com contato físico foram adiadas para o final do curso. 

Conforme o diretor do Departamento de Ensino, tenente-coronel Marcus Vinícius Gonçalves Oliveira, os alunos usam máscaras de tecido e ainda receberam face shield, proteção de acrílico que também é usada por profissionais de saúde.

 — Nosso departamento de saúde está acompanhando todos os alunos desde a entrada da documentação. Isso contribuiu para que não tivéssemos nenhum caso de coronavírus entre alunos e professores  —  comentou.

A previsão de ingresso para a tropa é até o final do ano. Além do curso de soldados, deve começar em setembro a formação para capitães, com turma de 70 alunos, segundo Oliveira. Será o primeiro chamamento dos 200 aprovados para o cargo de carreira de oficial. 

No último domingo (7), o governo do Estado incluiu como atividade essencial os cursos de formação profissional a aprovados em concurso público para o ingresso nas carreiras vinculadas à segurança pública promovidos pelas academias ou escolas oficiais.

A Brigada Militar possui cerca de 17 mil policiais militares – uma defasagem superior a 50%. O número ideal para a corporação seria de 37 mil. 

Fonte: GaúchaZH