A ASSTBM, como entidade que representa os Policiais Militares do Rio Grande do Sul, e que também lhe cabe, junto com o comando da instituição, a defesa destes profissionais, vem a público se manifestar sobre o fato ocorrido.

Inicialmente a entidade não entra no aspecto técnico, assunto que deve ser esclarecido pelos policiais que estão na linha de frente e atuando no dia a dia do combate à criminalidade.

Porém somos obrigados a discordar em partes da manifestação do presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, o qual temos todo o respeito e que também é um parceiro de longa data nas lutas pelas demandas da segurança pública.

Porém quanto ao fato em tela, antes de qualquer manifestação é necessária a apuração de todas as circunstâncias, ser analisado pela área técnica todos os comportamentos de ambos os lados para uma tomada de correta de posicionamento.

Vir a público fazer uma manifestação no calor dos fatos, contribui mais para acirramento e potencialização do fato do que da elucidação do mesmo. Esta postura causa prejuízo as duas instituições, com acaloramento das discussões que podem levar a outros fatos semelhantes e até com desfecho indesejável por todos.

Lembramos que fato recente amplamente divulgado na mídia, o qual reproduzimos ao final da nota, três Policiais Militares de SP foram mortos numa abordagem a um falso Policial Civil. Não há como saber quem é quem no momento de uma abordagem. Cabe ressaltar que todo o cidadão brasileiro, policial ou não, tem o dever de obedecer a uma ordem policial, até ser identificado.

Por fim reafirmamos nosso respeito a Polícia Civil, e desejamos que esse fato isolado e pontual não interfira no grande trabalho dessas duas instituições, pois o inimigo externo é grande demais e se houver enfraquecimento interno a batalha será perdida.

ASSTBM

Falso policial mata três PMs em São Paulo