ASSTBM participa de reunião das Entidades da Segurança Pública com o candidato Onyx Lorenzoni

1985

A ASSTBM historicamente sempre manteve a postura do diálogo, pois acreditamos ser este o caminho mais fácil para se avançar em benefícios a nossa categoria. 

No que se refere aos pleitos eleitorais, o que tem se repetido nas últimas décadas, nossa Entidade tem aberto as portas para RECEBER e OUVIR TODOS os candidatos, sejam postulantes ao legislativo ou executivo. Dentro desta postura, quando somos convidados por estes, a ouvir suas propostas e fazer nossa pauta de reivindicações, nunca nos furtamos, pois somente as urnas podem afirmar quem será o novo governante, e a ASSTBM prefere estar com os caminhos pavimentados do que começar o diálogo do zero após eleições. 

Consoante com o acima exposto, nesta segunda-feira (26) a ASSTBM e demais entidades ligadas a Segurança Pública, foram convidadas pelo candidato a Governador do Estado, Onyx Lorenzoni (PL) para ouvir do mesmo, suas propostas às categorias e por parte das entidades, quais suas principais demandas.

A ASSTBM foi representada pelo seu Presidente Aparício Santellano e diretor político Ricardo Agra.  Santellano em sua fala, ressaltou o compromisso do novo governador em cumprir a Lei Federal 13954/2019 no que se refere as alíquotas de previdência (10.5%), onde o RS na contramão do resto do país e no caminho da inconstitucionalidade, criou alíquotas absurdas sacrificando os servidores. Também destacou as correções necessárias na carreira da Brigada Militar, entre elas a antecipação do ingresso com nível superior prevista para outro governo cumprir. Para concluir, presidente Santellano disse que são muitas questões que precisam avançar, entre elas a correção na verticalidade do subsídio, um plano de recomposição salarial e outras demandas que devem ser tratadas de forma mais técnicas com o futuro eleito governador. 

Já o candidato Onyx perante todos assumiu o compromisso de fazer cumprir a legislação federal no que se refere a previdência ( Lei 13954 com alíquota de 10.5%) bem como avançar na valorização e melhor estrutura ao trabalho das polícias do estado.