ASSTBM participa da formatura dos novos Soldados da Brigada Militar

911

A ASSTBM, representada pelo seu Presidente, Aparício Santellano e Diretor Político, Ricardo Agra, participaram nesta quinta-feira (20/4), da formatura dos 676 Soldados do Curso Básico de Formação Policial Militar (CBFPM) na cerimônia ocorrida na APM em Porto Alegre, simultaneamente, com as outras que ocorreram nos municípios de Montenegro, Osório e Santa Maria. Os novos soldados, reforçarão a segurança pública do Rio Grande do Sul a partir dos próximos dias.

Conforme o Departamento de Ensino da BM, entre os formandos, são 588 homens e 88 mulheres. São 264 alunos-soldados em Montenegro, 177 em Porto Alegre, 120 em Santa Maria e 115 em Osório. Dos 676 novos agentes da segurança pública gaúcha, 177, ou 26% deles, são de fora do Rio Grande do Sul. Há representantes de 22 estados brasileiros e do Distrito Federal. Com este CBFPM, são mais de 2 mil soldados formados pela Brigada Militar nos últimos dois anos. Os novos soldados passaram por uma formação que começou no dia 1º de agosto de 2022. Ao todo, foram 1745 horas de aula, divididas em três módulos com encontros presenciais e na modalidade de Educação à distância (EAD).

Entre as disciplinas formativas, foram contemplados temas como Uso da Força e da Arma de Fogo, Direito Penal, Ética e Cidadania, Relações Humanas, Suporte Básico da Vida em Urgências e Emergências, Medidas Preliminares em Local de Crise e Mediação de Conflitos. Além delas, os formandos também participaram de estágios supervisionados, nos quais foram empregados no policiamento ostensivo em diversos municípios do estado.

Ricardo Agra, Santellano, Paulo Ricardo e Volz

A ASSTBM parabeniza os novos Soldados da Brigada Militar, tenham a certeza que a sociedade gaúcha os aguarda com expectativas, pois as pessoas de bem sabem o valor de um policial e sua fundamental necessidade para uma sociedade livre, democrática e pacífica.

Bom retorno aos seus lares e às famílias que os esperam para comemorar este momento.

ASSTBM

“Pelo poder da vontade, não pela vontade do poder”