Onda de protestos preocupa governo

33

Cúpula da Segurança Pública promete punição a PMs que ontem bloquearam com pneus incendiados três rodovias gaúchas 

As rodovias gaúchas voltaram a ser iluminadas pelas chamas dos pneus queimados em protesto por melhorias salariais para os servidores da Brigada Militar (BM). Na madrugada de ontem, barreiras de fogo e fumaça bloquearam estradas em três municípios gaúchos. O pipocar de ações no Estado faz o movimento ganhar corpo, inquietando a cúpula da Segurança Pública, que promete punir os responsáveis.

– Há um processo de negociação de salários em andamento. No início do mês devemos ter uma proposta, como ficou acertado na última reunião. Portanto, não entendemos os motivos dessa postura – diz o coronel Altair de Freitas Cunha, subcomandante-geral da BM, que ontem estava no exercício do comando da corporação.

O coronel falou após reunir-se com o secretário da Segurança, Airton Michels, para discutir os protestos:

– A nossa posição sobre esta maneira de protestar é legalista. Se conseguirmos provar o envolvimento de policiais militares, eles serão punidos.

Mesmo que os envolvidos sejam identificados, o caminho para a punição é longo devido ao ritual jurídico. Se o inquérito apontar um PM como responsável, a BM abre um procedimento administrativo para aplicar as punições previstas, como detenção.

O comando da pasta descreve como radicalização na discussão salarial o uso da tática de fechar rodovias adotada pela Associação Beneficente Antonio Mendes Filho (Abamf), que representa os servidores de nível médio da Brigada Militar (BM).

Em Santa Rosa, o cheiro de borracha queimada começou a ser sentido no final da noite de terça-feira, na rodovia Giruá-Tuparendi (ERS-344), no Noroeste. No final da madrugada, o fogo interrompeu a rodovia Ivoti-Novo Hamburgo (BR-116), em Estância Velha, e a estrada Erechim-Concórdia (BR-153), em Erechim. No início da semana, houve protestos em Passo Fundo e em Tapes. Junto às barreiras são colocados cartazes e faixas pedindo a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300 (veja quadro nesta página).

Em Frederico Westphalen, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prestou queixa na Polícia Civil. Nas outras manifestações, o procedimento dos policiais rodoviários foi semelhante, informa o Alessandro Castro, chefe da comunicação social da PRF.

CARLOS WAGNER

A reivindicação
PMs descontentes vêm bloqueando rodovias no Estado desde o início do mês. A categoria reivindica a aprovação da PEC 300:
– A Proposta de Emenda à Constituição 300 propõe que os salários dos policiais militares, bombeiros e policiais civis de todo o país sejam equiparados aos dos do Distrito Federal, os mais bem pagos do Brasil.
– Segundo a Secretaria a Fazenda, o piso salarial de um soldado da BM, que é de R$ 1,2 mil, passaria para R$ 3,5 mil.
– Por se tratar de uma mudança da Constituição de 1988, a PEC 300 precisa ser aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados.
– No ano passado, ela foi aprovada no primeiro turno. Atualmente, está em uma comissão especial da Câmara onde estão sendo feitos ajustes, reivindicados pelos deputados. Poderá ir a votação no próximo mês.
AS CHAMAS DOS PROTESTOS
– 4 de agosto – Pneus incendiados foram postos na estrada Carazinho-Iraí (BR-386), em Frederico Westphalen, impedindo o trânsito na rodovia por mais de uma hora.
– 22 de agosto – A estrada Passo Fundo-Carazinho (BR-285) foi bloqueada às 4h30min por pneus incendiados. A pista foi liberada uma hora depois, após a ação dos bombeiros.
– 23 de agosto – Nova barreira de pneus em chamas bloqueou por cerca de uma hora a rodovia Porto Alegre-Pelotas (BR-116) em Tapes, durante a madrugada.
– 23 de agosto – No final da noite, pneus foram incendiados na rodovia Giruá-Tuparendi (ERS-344), em Santa Rosa. O trânsito ficou interrompido por uma hora. Foi o único ataque em rodovia estadual.
– 24 de agosto – A rodovia Ivoti-Novo Hamburgo (BR-116) ficou interditada por uma hora em Estância Velha. Pneus espalhados pegaram fogo desde às 5h.
– 24 de agosto – O fogo gerado pela queima de pneus às margens da rodovia Erechim-Concórdia (BR-153) surpreendeu motoristas que passavam pela via às 4h30min. A estrada não foi interditada.
ZERO HORA