Associações repudiam intenção de remanejar efetivo da BM

35

A intenção do Palácio Piratini de remanejar efetivos da Brigada Militar para suprir carências em determinados pelotões não repercutiu bem entre as entidades de classe. O presidente da Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), Leonel Lucas, disse que não serão aceitas as transferências de policiais militares.

Ele ressaltou que os servidores não foram consultados sobre o tema. Lucas acredita que a solução do problema de efetivo depende da realização de concurso público e da concessão de reajuste salarial para os policiais militares gaúchos, que recebem os piores salários do país. Também diz que contribuiria para a qualificação do policiamento o investimento em tecnologia, com a instalação ampla de câmeras de monitoramento e a compra de rádios transmissores.

“O remanejo de colegas de forma unilateral não será aceito pelas entidades, que têm por objetivo maior a defesa dos direitos dos brigadianos”, diz nota assinada por Lucas. A Abamf, que agrega servidores de nível médio da corporação, convocará a categoria para uma assembleia geral no próximo mês, em conjunto com a Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar. “Vamos cobrar posições sobre a nossa situação salarial. Até agora, em mais de três meses, o governo não acenou nada para nós”, disse Lucas.

Fonte: Correio do Povo