Comandante da BM pede ao governo que protestos não interrompam acordo.

28

O comandante geral da Brigada Militar, coronel Sérgio Roberto de Abreu, se reuniu, no fim da tarde desta quinta-feira, com o governador Tarso Genro para tratar da negociação sobre o reajuste dos policiais militares. No encontro, Abreu pediu ao governador que o diálogo não seja interrompido em função do que ele considera “manifestações isoladas” de policiais. “Esses atos atrapalham as negociações e não favorecem o diálogo”, afirmou, referindo-se às recentes queimas de pneus.

Em reunião mais cedo com o presidente da Associação Beneficente Antonio Mendes Filho (Abamf) dos cabos e soldados, Leonel Lucas, o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, afirmou que o governo elaborou uma nova proposta, mas só entregaria às entidades no momento em que cessarem os protestos. “Reconhecemos que os salários são baixos e queremos solucionar essa situação”, afirmou.

A Abamf apresentou proposta que prevê a elevação do piso dos atuais R$ 1.170,00 para R$ 3,200,00, sendo 25% de reajuste agora e o restante no decorrer do governo. Leonel Lucas recordou que o aumento concedido no início do ano era referente às negociações com a ex-governadora Yeda Crusius.

Identirficados suspeitos

A Brigada Militar já identificou três suspeitos de participarem dos protestos com queima de pneus, em diversos pontos do Estado, por melhores salários na corporação. De acordo com o comandante-geral da BM, coronel Sérgio Roberto de Abreu, os participantes não são oficiais da ativa.

Um inquérito foi instaurado para que outros envolvidos com os 23 ataques já ocorridos desde o começo de agosto tenham a identidade revelada. A intenção da corporação é descobrir se foram oficiais da reserva ou civis os autores dos protestos.

Últimos protestos

Nesta quinta-feira, uma das principais vias de Porto Alegre, a avenida Mauá, foi interrompida por uma barreira de pneus com fogo. Trata-se do primeiro registro desse tipo de protesto na Capital. Pelo menos três das quatro pistas da via ficaram interrompidas, mas o fluxo de veículos não foi comprometido.

Durante a madrugada, três rodovias foram interrompidas. Em Uruguaiana, na Fronteira Oeste, o km 568 da BR 472, ficou parcialmente bloqueado às 3h30min por pneus em chamas. Por volta das 5h, o km 193 da RSC 470 foi interrompido também por uma barreira. A ponte do Rio das Antas, entre Bento Gonçalves e Veranópolis, na Serra, ficou bloqueado por cerca de 40 minutos. Em Charqueadas, na Região Carbonífera, o km 28 da ERS 401 também foi fechado.

Fonte: Correio do Povo e Rádio Guaíba