Policiais exigem verticalidade salarial e ameaçam fazer greve

27

Nesta sexta-feira, chefe da Casa Civil retoma diálogo com delegados

Sinalização positiva na negociação entre delegados e Casa Civil poderá deflagrar um racha na Polícia Civil. O presidente da Ugeirm-Sindicato, Isaac Ortiz, que representa os agentes de polícia, garante que haverá greve se o governo equiparar os vencimentos dos delegados com os procuradores e não priorizar outras categorias da segurança pública. Ortiz disse que a exigência é de verticalidade, utilizando como exemplo o salário mais alto do delegado de quarta classe que pode servir como parâmetro para a distribuição proporcional dos vencimentos das carreiras inferiores da Polícia Civil.

O secretário da Associação de Delegados de Polícia (Asdep-RS), Heitor França, reconhece as demandas de outros setores do serviço público, mas pondera que a reivindicação dos policiais civis é inconstitucional por caracterizar vinculação salarial a uma carreira distinta. Amanhã, às 11 horas, os delegados de polícia voltam a se reunir no Palácio Piratini com o secretário chefe da Casa Civil, Carlos Pestana.

Fonte: Voltaire Porto/Rádio Guaíba