PMs e bombeiros interrompem o trânsito em frente ao Copacabana Palace, no Rio

49

Manifestação a principal avenida da orla carioca reuniu dezenas de manifestantes

Uma manifestação de policiais militares (PMs) e bombeiros grevistas parou o tráfego numa das pistas da Avenida Atlântica, a principal da orla carioca, na manhã deste domingo. Cerca de uma centena de manifestantes se posicionaram em frente a um dos mais badalados hotéis do Brasil, o Copacabana Palace, chamando a atenção com gritos, barulho de apitos e discursos proferidos com megafones.

— Cadeia para o Cabral, solta o policial! — gritavam os manifestantes, hostilizando o governador fluminense Sérgio Cabral e pedindo a libertação de 17 grevistas que foram presos sexta-feira e transferidos para a Penitenciária de Segurança Máxima Bangu I. Entre os presos estão oficiais da BM e bombeiros.


Foto: Humberto Trezzi, Agência RBS

A greve, na prática, fracassou. Algumas centenas de policiais cruzaram os braços, num universo de mais de 70 mil servidores da segurança pública no Rio. Contribuiu para isso o fato do governo ter ordenado repressão aos grevistas. Um total de 129 bombeiros e 143 PMs foram detidos e mantidos em seus quartéis, como punição disciplinar por terem incentivado os colegas a paralisar atividades.

A Polícia Civil, que tinha decretado greve, decidiu voltar ao trabalho na noite de sábado — até mesmo porque as delegacias, na prática, continuaram funcionando.

ZERO HORA